A História da Internet e Suas Tecnologias – Da Guerra Fria a 2020
access_time
hourglass_empty
person_outline

A História da Internet e Suas Tecnologias – Da Guerra Fria a 2020

Todos os dias você checa seus emails e envia mensagens pelo WhatsApp. É bem provável que você também jogue games online, assista a séries por streaming e compartilhe opiniões no seu blog pessoal. Sabe qual característica todas essas atividades têm em comum? A internet. Esse é, exatamente, o assunto do conteúdo de hoje: você vai aprender sobre a história da internet, um dos adventos mais significativos e revolucionários da humanidade. 

Divirta-se! 🤙

Contextos da História da Internet no Pós-Segunda Guerra Mundial

O ponta-pé inicial da história da internet começa após os eventos da Segunda Guerra Mundial

A vitória dos Aliados (Estados Unidos, Reino Unido e União Soviética) sobre o grupo do Eixo (Alemanha, Itália e Japão) em 1945 causou uma ruptura global na forma como diversos países passaram a conduzir seus sistemas econômicos, políticos e sociais. 

No grupo dos Aliados, Estados Unidos (capitalismo) e União Soviética (comunismo), as superpotências da época, começaram um embate ideológico, político e econômico num episódio histórico que ficou conhecido como Guerra Fria

Esse momento de intensa disputa e de influências sobre todos os outros países foi responsável por um grande desenvolvimento armamentista e tecnológico

Neste contexto, a URSS lançou, em 1957, o Sputnik, o primeiro programa de satélites artificiais. Como um das respostas, os EUA apostaram no desenvolvimento informática

Foi assim que, em 1963, o Departamento de Defesa do país lançou a ARPA (Agência de Projetos de Pesquisa Avançada). 

O objetivo dessa agência era criar um sistema interno de comunicação eficiente e confiável para que os centros de pesquisa pudessem se comunicar com segurança, velocidade e sem interferências externas. .

ARPAnet e a Origem da Internet em 1969

Esse novo sistema de comunicação da ARPA teve que ser descentralizado para que a informação pudesse ser redirecionada de um centro para outro sem precisar de uma ação humana específica. 

Afinal, se algo acontecesse com qualquer base científica em função da ameaça constante das armas nucleares, as informações não podiam parar de circular pelos EUA. O que importava aqui era a segurança nacional e travar a influência soviética pelo mundo.

Então, em 1969, pesquisadores da Universidade da Califórnia começaram a fazer testes com protocolos de comunicação e conectaram os computadores locais em uma rede local privada.

Essa rede, ficou conhecida como ARPAnet (Rede da Agência de Pesquisas Avançadas. Ainda que muito engessada e primitiva, esse é o primeiro ensaio do surgimento da internet como a conhecemos atualmente. 

Num primeiro momento, a ARPAnet serviu, além da comunicação entre os centros de pesquisa, principalmente para fins militares. 

A ideia era interligar as bases estratégicas e otimizar a troca de informações sigilosas sobre novas tecnologias armamentistas, planos de combate e identificar ameaças estrangeiras. 

Nos anos seguintes, a ARPAnet se tornou inspiração para a criação de uma rede global que permitiria interligar computadores de qualquer lugar do mundo através de várias conexões simultâneas. 

Essa ideia, conhecida inicialmente pelo termo internetworking, foi crucial para o surgimento da internet e o estabelecimento da futura rede mundial de computadores

A Criação da Internet Com os Protocolos IP/TCP e o WWW

Com o desenvolvimento da comunicação entre computadores por rede local, foi necessário expandir esse alcance para a facilitar a ligação de contatos entre pessoas numa escala mais massiva. 

Isso começou em 1974, quando os norte-americanos Robert Kahn e Vinton Cerf criaram os protocolos IP (Internet Protocol) e TCP (Transfer Control Protocol). 

Esses dois protocolos de rede formaram a base da estrutura de comunicação da internet através do envio e recebimento de pacotes de dados e de informações. É assim que a internet funciona até os dias de hoje. 

Nos anos seguintes, a patente de criação desses protocolos passou a ser pública. Assim, mais centros de pesquisa, acadêmicos, laboratórios de engenharia aeroespacial, desenvolvedores e programadores tiveram amplo acesso essa nova forma de comunicação sem fronteiras.   

Entre todos esses cientistas estava o britânico Tim Berners-Lee, que deu origem, em 1990, ao projeto WWW (World Wide Web). 

O conceito aplicado da WWW era ser uma teia gigantesca de informações entrelaçadas por links em textos acessados pelo usuário de qualquer local conectado a um servidor de rede virtual. 

Esses acessos eram feitos através do primeiro navegador da internet, o WWW, o mesmo nome da teia gigantesca e também uma criação de Tim Berners-Lee. Anos mais tarde, este navegador foi renomeado para Nexus para evitar confusões. 

Saca só! 💡

Tim Berner’s-Lee também criou o HTML, uma linguagem de marcação usada até hoje para criar sites. O cientista ainda inventou o HTTP, um protocolo de rede que garante a troca de dados entre um navegador e um site, permitindo a visualização do conteúdo de uma página pelo usuário.

Transformação nos Anos 90 – O Webmail e as Mensagens Instantâneas

Foi a partir da década de 90 que a internet causou uma transformação na sociedade contemporânea. O cotidiano das pessoas foi remodelado pela derrubada das fronteiras geográficas e pelo encurtamento dos fusos horários.

O dia a dia foi aperfeiçoado na agilidade de como essas mesmas pessoas passaram a se comunicar e a consumir informação, conhecimento, produtos, serviços, cultura e entretenimento. 

Os primeiros provedores de webmail são grandes responsáveis por essa revolução. Entre eles estão o Hotmail (1996, atualmente como Outlook), o BOL (1996, com destaque no Brasil), o Yahoo! (1997) e o ZipMail (1998). O GMail só foi aparecer em 2004

As salas de bate-papo e os fóruns também surgiram nesta época. Um dos casos mais expoentes durante a história da internet no Brasil foi o UOL (1996), que inaugurou janelas para conversação e comunidades online organizadas por temas, tópicos e faixas etárias. 

Inspirados nas salas de bate-papo, surgiram os programas de mensagem instantânea (chat). Os mais populares no país foram o mIRC (1995), o ICQ (1997) e o MSN Messenger (1999), com seu recurso que tremia a tela para chamar a atenção do usuário com quem você estava falando. 

Ainda nos anos 90, não podemos deixar de falar do GeoCities (1994), o primeiro serviço de hospedagem de sites a oferecer ferramentas gratuitas para criação de páginas na internet para usuários com qualquer nível de experiência. Teve 38 milhões de usuários. 

Saca só! 💡

O GeoCities é precursor dos Sistemas de Gerenciamento de Conteúdos (CMS). É por causa dele que hoje você tem acesso ao WordPress, a plataforma de gerenciamento de conteúdo mais popular do mundo. O CMS surgiu em 2003 e, atualmente, é base de 37% de todos os sites que existem na internet.

A Explosão das Redes Sociais

homem no topo de um foguete espalhando fumaça com símbolos e redes sociais

Foi também na década de 90 que o mundo assistiu a uma das maiores revoluções na história da internet com a criação das redes sociais

Milhões de pessoas puderam interagir umas com as outras sem precisar considerar as barreiras geográficas, as diferenças de horários e a precariedade dos sistemas de telefonia móvel. 

Redes sociais são plataformas de comunicação online em que o usuário pode criar um perfil, publicar postagens usando textos, fotos, vídeos e áudios para outros usuários também cadastrados. 

Mas, não se engane: a estrutura de comunicação dessas redes naquela época era bem mais limitada e sem os recursos completos da atualidade.

A primeira rede social foi a ClassMates (algo como “colegas de classe”, em tradução adaptada). Ela foi criada nos Estados Unidos em 1995 por Randy Conrads

Sua principal proposta era reunir estudantes universitários numa plataforma virtual que ajudasse em atividades escolares, a encontrar moradia, indicação de estágios, creches e outros serviços básicos. 

A ClassMates chegou a ter mais de 50 milhões de usuários. Atualmente, conta com cerca de 250 mil

Abaixo, temos um retrospecto com as principais redes sociais que surgiram desde o aparecimento da ClassMates. Vamos separar a sequência pelo ano de origem e identificar suas principais características. 

  • Fotolog (2002) – Criada para o compartilhamento de fotos e imagens do cotidiano. Os usuários podiam criar uma página exclusiva para cada foto, além de adicionar textos de apoio, receber comentários de outros usuários e fazer links para outros fotologs de destaque. Chegou a ter mais de 20 milhões de visitas únicas por mês, sendo descontinuada em 2016.

  • LinkedIN (2003) – A plataforma voltada exclusivamente para profissionais e vagas de emprego. É possível criar um perfil profissional mostrando suas habilidades, competências, formação acadêmica, trabalhos voluntários e preencher seu currículo para novas oportunidades. O sistema de atualização do feed mostra os compartilhamentos que mais têm destaque dos seus contatos profissionais. São mais de 175 milhões de usuários.
  • MySpace (2003) – O primeiro tipo de miniblog online com capacidade para receber conteúdos em texto, fotos e vídeo. Muito popular no começo dos anos 2000, em virtude do compartilhamento de arquivos. Chegou a ser usada por grandes artistas para promoverem seus trabalhos, lançado músicas e álbuns completos na plataforma. Atualmente, conta com mais de 25 milhões de cadastros.
  • Orkut (2004) – Começa o ano da explosão das redes sociais mundo afora. No Brasil, foi o grande responsável por popularizar este tipo de interação pela internet, chegando a 80 milhões de usuários ativos no país. A plataforma permitia criar um perfil completo, adicionar amigos, compartilhar de arquivos em geral, atualizar o feed com novidades diárias, escrever depoimentos e participar de comunidades. Foi descontinuado em 2014. 
  • Flickr (2004) – Focada na hospedagem de fotos, desenhos, ilustrações e vídeos. O destaque, além do compartilhamento de arquivos (gratuitos e pagos), é se conectar com autores e artistas virtuais, que usam a plataforma para divulgar seus trabalhos. Também possui recursos de comunicação por mensagens privadas e formação de grupos temáticos. 
  • Facebook (2004) – Criada por Mark Zuckeberg, foi a primeira rede social a ultrapassar a marca de 1 bilhão de usuários registrados, sendo, atualmente, mais de 1.6 bilhão de usuários ativos todos os dias. É a maior rede social. No Brasil, absorveu toda a popularidade do Orkut e se espalhou pelo mundo por trazer ferramentas de comunicação e exposição de conteúdo mais completas. Popularizou os botões Curtir e Compartilhar.  
  • YouTube (2005) – A maior plataforma de vídeos e o segundo maior buscador da internet. Foi lançada por três ex-funcionários do sistema PayPal, se popularizando rapidamente em virtude das suas ferramentas muito acessíveis de produção, edição, publicação e monetização de vídeos. Conta com mais de 1.9 bilhão de usuários ativos mensais que assistem a mais 1 bilhão de horas em vídeos diariamente.
  • Twitter (2006) – Estabeleceu um estilo de microblogs com postagens de textos mais curtos de até 140 caracteres. Esse limite subiu para 280 caracteres em 2017. Popularizou o uso de # (hashtags) para agrupar e encontrar conteúdos usando o mesmo nicho de assunto. Permite compartilhar conteúdos em vídeo, gifs, seguir usuários ou empresas, além de mensagens privadas e a criação de tópicos de destaque. Conta com mais de 320 milhões de usuários ativos. 
  • Tumblr (2007) – Uma plataforma de blog popular pela sua facilidade de compartilhar fotos, vídeos, áudios, gifs e arquivos em geral. Permite que o usuário siga contas de outros contatos para acompanhar novas publicações. Não é tão popular quanto outras redes, embora já tenha sido a rede social com o maior percentual de crescimento, contando com mais de 160 milhões de usuários atualmente. 
     
  • Instagram (2010) – Inicialmente focada em fotografias, logo passou a ter suporte a vídeos. Possui ferramentas de agrupamento de conteúdo e efeitos interativos para fotos estilosas. A função Stories, uma das mais populares na internet, permite publicar conteúdo instantâneo do dia a dia dos usuários, incluindo pesquisas, joguinhos, fotos e vídeos rápidos. Já tem mais de 1 bilhão de usuários ativos.
     
  • Google+ (2011) – Chegou com a proposta de ser o competidor do Facebook, mas que não obteve sucesso. Chegou a ter 400 milhões de usuários cadastros, mas, após um vazamento de dados de mais de 500 mil contas a desenvolvedores, a rede foi descontinuada pelo Google em 2019. Atualmente, é mais voltada para ambientes corporativo, tendo baixo engajamento e pouca relevância popular.
       
  • Snapchat (2011) – Muito focada em dispositivos móveis para troca de mensagens instantâneas com a adição de fotos com efeitos e vídeos com filtros divertidos. Um dos recursos em destaque é que o conteúdo só pode ser visto uma única vez, o que fez com que o aplicativo se tornasse popular para a troca de conteúdo íntimo entre usuários. Mais de 190 milhões de usuários usam a rede diariamente.

  • TikTok (2016) – É a quarta rede social mais usada, sendo um dos aplicativos mais populares do momento. Permite que o usuário crie, compartilhe e acesse conteúdos em vídeos rápidos de acordo com as hashtags mais buscadas. Conta com mais de 1.5 bilhão de usuários mensais, sendo a plataforma de origem de grande parte dos memes, vídeos virais e de conteúdos de celebridades e influenciadores que aparecem na internet todos os dias.

Estatísticas da Internet na Atualidade

Não tem escapatória: a internet está em todos os lugares. E, atualmente, são mais de 4.3 bilhões de usuários com acesso à redes online em todo o mundo.

Em qualquer lugar que você vá, qualquer atividade que você faça em casa ou no trabalho pelo computador e em praticamente qualquer hobby do seu dia a dia, ela marca presença com suas facilidades instantâneas na forma como você cumpre cada uma das suas tarefas. 

Com uma conexão sem fio, por exemplo, você consegue responder emails urgentes, fazer uma videochamada com a sua empresa, pedir um almoço online, chamar um transporte por um aplicativo, pesquisar informações de um produto no Google e atualizar seu perfil numa rede social. 

Para você ter a dimensão do impacto da internet na sua vida, abaixo estão algumas estatísticas de usabilidade da web em apenas 1 minuto, referentes ao ano de 2019:

  • 188 milhões de emails enviados. 
  • 41.6 milhões de mensagens enviadas no WhatsApp.
  • 3.8 milhões de pesquisas no Google.
  • 4.5 milhões de vídeos assistidos no YouTube.
  • 1 milhão de logins no Facebook.
  • 694 mil horas em streaming pela Netflix.
  • 390 mil downloads de aplicativos. 
  • 347 mil deslizes (dedo na tela) no Instagram.
  • 350 mil mensagens postadas no Twitter.

Ainda que estes números seja bem impressionantes, eles só tendem a aumentar com o passar dos anos. Isso porque o desenvolvimento gradual da tecnologias e da sociedade civil permitem que a internet alcance novos lugares, usuários e conquiste dados ainda mais surpreendentes. 

Conclusão

A criação da internet é uma das invenções tecnológicas mais revolucionárias na história da humanidade. O impacto do advento deste tipo de comunicação instantânea influencia e molda todas as atividades da vida cotidiana e as relações de bilhões de pessoas todos os dias.

Atualmente, a internet pode ser encontrada e acessada em:

  • Desktops (computadores, notebooks e laptops).
  • Dispositivos móveis (smartphones, tablets, leitores digitais, GPS).
  • Consoles de videogame, videogames portáteis e jogos online.
  • Televisores (inclusive portáteis).
  • Carros e motos inteligentes.
  • Vestíveis (relógios e pulseiras inteligentes).
  • Sensores, equipamentos de segurança e monitoramento.
  • Satélites e tecnologias aeroespaciais.
  • Internet Banking.
  • Cidades, casas, indústrias habilitadas para a Internet das Coisas

Agora, imagine-se sem acesso à internet por uma semana. Quais tipos de atividades, tarefas e compromissos do seu cotidiano seriam afetados por isso? Você acha que seria possível vivermos em um mundo sem as possibilidades da internet? Deixe sua opinião nos comentários!

Até a próxima! 😎

O Autor

Author

Andrei L. / @andreilongen101

Jornalista e conteudista SEO/Localização na Hostinger Brasil. Tem experiência em WordPress e na produção de conteúdos de tecnologia otimizados para conquistar as melhores posições no Google. É fã de games, adora vôlei, ama o inverno e está sempre buscando se aperfeiçoar no Inglês.

Tutoriais relacionados

Deixe uma resposta

Comentar*

Nome*

Email*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Faça parte da Hostinger agora!