Tipos de eCommerce e seus Modelos de Negócio (Com Exemplos)

Quando você está começando sua própria empresa, é uma boa ideia entender quais são os diferentes tipos de eCommerce. Isso pode trazer uma maior compreensão de como serão as suas operações diárias, que oportunidades estarão pela frente e para quais desafios você precisa se preparar.

Continue lendo este artigo para aprender mais sobre os tipos de eCommerce. Além disso, vamos oferecer alguns exemplos de negócios de eCommerce para mostrar como são essas empresas na prática.

Tipos de eCommerce por Modelo de Negócio

Primeiramente, vamos discutir os principais tipos de eCommerce e seus modelos de negócio, pensando em para quem a companhia está vendendo.

descrição dos quatro tipos de ecommerce: b2b, b2c, c2b e c2c

Business to Business (B2B)

No modelo B2B, as empresas vendem para outras companhias. Tipicamente, os bens e serviços são apenas para uso corporativo. Portanto, eles costumam proporcionar maior produtividade, maior colaboração, suprir as necessidades do escritório ou o melhorar o processo de produção. Em muitos casos, o comprador também pode adquirir o item em grandes volumes para revender.

Nos últimos anos, o eCommerce tem acelerado o crescimento da indústria de B2B. O motivo é que muitas empresas estão trocando para o plataformas online na hora de conduzir negócios com seus clientes e parceiros.

Marketplaces B2B como Alibaba e Amazon também têm contribuído para esse crescimento. Muitos negócios de eCommerce também têm os seus próprios sites e aplicativos para facilitar as transações.

Um aspecto a se notar sobre o B2B é que os ciclos de venda podem ser mais longos, durando entre quatro e sete meses. As empresas geralmente exigem mais tempo na hora de decidir se vale a pena comprar um item, especialmente se ele for essencial para as suas operações.

Exemplo de Business to Business (B2B) – Slack

página inicial do Slack

O Slack é um ótimo exemplo de empresa B2B. Trata-se de um software de comunicação exclusivo para firmas e empresas. Os seus planos de assinatura se encaixam com empresas de qualquer tamanho, desde pequenas operações até grandes corporações.

Business to Consumer (B2C)

Uma empresa B2C geralmente vende diretamente para consumidores. Os bens ou serviços geralmente são pensados para uso pessoal, e vão desde compras de mercado, roupas, eletrônicos e serviços de streaming.

A transação pode acontecer numa loja virtual, num site comercial, num marketplace ou em outras aplicações web.

De acordo com o Grand View Research, o tamanho do mercado global para eCommerce B2C está crescendo de maneira constante, com um aumento anual de 7,9%. Assim sendo, novas startups que entrarem no mercado vão encontrar muita demanda.

Não obstante, a competição pode ser intensa, especialmente se for numa indústria saturada cheia de empresas consolidadas.

Exemplo de Business to Consumer (B2C) – Function of Beauty

página inicial do function of beauty

A Function of Beauty vende itens de cuidado pessoal para indivíduos. Ela permite que essas pessoas customizem as fórmulas dos produtos de acordo com as suas preferências. Oferecer opções de personalização é a maneira que essa marca encontrou de criar uma experiência única, que se diferencia de outros B2C.

Consumer to Consumer (C2C)

No modelo de eCommerce C2C, uma empresa providencia uma plataforma online para clientes comprarem e venderem uns aos outros.

Essas plataformas podem ser marketplaces onde as pessoas podem listar os seus itens e serem pagas através do próprio site. Também pode ser um fórum onde as pessoas anunciam seus bens ou serviços, mas a transação acontece pessoalmente.

A empresa terá seu lucro ao cobrar taxas para listar itens no site. Algumas também podem implementar taxas de transação, que tipicamente se aplicam toda vez que um vendedor faz uma venda bem-sucedida.

Quando for feito corretamente, este modelo de eCommerce pode ser altamente lucrativo. Muitas pessoas preferem vender em sites de terceiros, especialmente se eles atraem uma grande base de usuários, tipo o Mercado Livre ou a OLX. Mais do que isso, o processo de configuração pode ser mais rápido do que criar uma loja online.

Exemplo de Consumer to Consumer (B2C) – Facebook Marketplace

página inicial do Facebook marketplace

Este marketplace online permite que os usuários do Facebook que moram numa mesma região possam comprar e vender entre si.

Os vendedores podem listar os seus itens gratuitamente, e eles precisam encontrar os compradores pessoalmente para completar a transação. Quem mora nos EUA também pode habilitar pagamentos online e frete ao pagar uma taxa de vendas.

Consumer to Business (C2B)

No eCommerce C2B, as pessoas oferecem seus talentos e habilidades para as empresas. Exemplos de bens e serviços populares neste modelo incluem marketing de afiliados, testes de usuários e serviços de freelancer.

Assim como no C2C, a troca consumer-to-business geralmente acontece num site de terceiros. Tais plataformas cobram uma taxa da pessoa física ou da empresa.

Algumas pessoas também usam seus próprios currículos online, anunciando-os em mecanismos de busca ou em redes sociais.

Exemplo de Consumer to Business (C2B) – Upwork

página inicial do uptowork

O Upwork é um portal de empregos online que conecta freelancers com empresas. Ele cobra taxas sobre os serviços dos freelancers, que variam entre 5% e 20% — dependendo do valor pago pelo trabalho. Também existem planos pagos para os clientes que desejam processar os pagamentos e habilitar recursos adicionais de anúncio de serviços.

Business to Administration (B2A)

Esse tipo de eCommerce vende ferramentas online para agências do governo. Normalmente a entidade vai usar o programa para gerenciar seus serviços, incluindo processar solicitações dos cidadãos ou manter registros oficiais.

Exemplo de Business to Administration (B2A) – OpenGov

página inicial do opengov

O OpenGov é um software em nuvem que busca ajudar governos municipais e estaduais com suas operações diárias. Os recursos incluem ferramentas de gestão orçamentária, de contabilidade, de relatórios e de licenciamento. Muitos escritórios de administração pública ao redor dos EUA têm usado a aplicação.

Consumer to Administration (C2A)

O modelo C2A se refere a atividades de eCommerce entre pessoas físicas e o governo.

Essas transações geralmente incluem pagamentos de gastos de administração pública, como serviços de saúde, seguridade social e impostos.

Exemplo de Consumer to Administration (C2A) – EFTPS

página inicial do EFTPS

Sigla para Electronic Federal Tax Payment System (EFTPS), esse site permite que cidadãos dos EUA paguem seus impostos através da internet. Os usuários podem se cadastrar e agendar um pagamento de maneria antecipada, ou marcar uma coleta de impostos para o mesmo dia.

Tipos de eCommerce por Modelo de Receita

Os seguintes tipos de eCommerce levam em consideração como a empresa é operada e como ela gera receitas.

Dropshipping

O dropshipping permite que as empresas vendam para os clientes sem ter que lidar com a produção, o inventário e o envio dos produtos.

Nesse tipo de eCommerce, você vai trabalhar com um varejista third-party e anunciar os produtos dele na internet. Quando alguém faz um pedido, você notificará o fornecedor para que o produto seja enviado para o cliente. Se a venda por bem-sucedida, você receberá uma parte dos lucros.

Esse método geralmente tem um baixo custo inicial. Você só precisa de um site e de uma parceria com um varejista para começar. Os fornecedores podem ser acessados através de diretórios de dropshipping como o SaleHoo e o Spocket.

Dito isso, uma dificuldade comum é que não será possível verificar a condição de um item antes de enviá-lo ao cliente. Além disso, a competição pode ser dura para empresas que estão vendendo um produto comum.

Exemplo de Dropshipping – Grafomap

página inicial da grafo map

A Grafomap vende quadros usando o serviço de dropshipping sob demanda da Printful. Ela permite que os clientes encomendem um mapa com artes customizadas com as ferramentas disponíveis no site da empresa. A Printful então vai produzir e enviar a compra para os clientes.

Atacado

Um atacadista compra bens em grandes volumes diretamente dos fabricantes e os revende para varejistas.

Como eles compram os itens em grandes quantidades, podem obter descontos com o fornecedor. Para lucrar com o negócio, eles vendem os produtos a um preço mais alto. Os itens então são estocados para serem vendidos aos clientes.

Uma empresa de atacado geralmente precisa ter um armazém para guardar os produtos. O processo de venda pode ser feito no seu próprio site ou num marketplace como Amazon, Alibaba ou Faire.

Apesar do atacado normalmente se encaixar na categoria business-to-business, alguns fornecedores estão abertos a vender diretamente para os clientes.

Exemplo de Atacadista – S&S Activewear

página inicial da S&S Activewear

A S&S Activewear é uma atacadista que vende roupas de marca para varejistas. Eles também oferecem roupas básicas para empresas de impressão que fazem vestimentas customizadas para seus clientes.

Private Labeling

Um negócio do tipo private label opera através de uma fabricante que cria um produto usando a sua marca. Essa empresa vai controlar diversos aspectos desse item, incluindo o seu material, a sua função e a sua embalagem.

Um benefício desse modelo, também conhecido como marca privada, é que o produto criado é único, sem igual no mercado. Dito isso, é uma boa prática pesquisar sobre a fabricante antes de determinar se ela consegue preencher os seus requisitos.

Exemplo de Private Labeling – Zadiko Tea Co.

página inicial da zadiko tea co

A Zadiko é uma empresa de chá criada pelo YouTuber Zach Kornfeld. Ele trabalha com a fabricante Art of Tea para criar combinações de chá únicas para os seus produtos, e usa a sua própria marca nos seus canais de venda.

White Labeling

No white labeling, a empresa compra uma linha de produtos prontos de uma fabricante e aplica a sua própria marca antes de vendê-los.

Ao contrário do modelo de private labeling, a empresa não tem voz na criação do produto. Contudo, essa falta de envolvimento significa que o processo geralmente será mais rápido e mais acessível. Assim que os itens estiverem prontos, a empresa vai armazená-los em seus próprios armazéns.

Assim como no dropshipping, a competição pode ser intensa se você estiver vendendo um produto popular de baixo custo.

Exemplo de White Labeling – The Chocolate Gift

página inicial da the chocolate gift company

The Chocolate Gift oferece serviços de white labeling para empresas que queiram revender suas barras de chocolate. Os clientes podem encomendar até 240 itens usando um design customizado para a sua marca.

Serviço de Assinatura

Neste modelo, a empresa vai oferecer um produto ou serviço de maneira recorrente para os seus cliente em troca de pagamentos periódicos — geralmente semanais, mensais ou anuais.

Os serviços de assinatura podem ser categorizados dentre os seguintes tipos:

  • Acesso. Os clientes podem usar uma plataforma digital premium por uma taxa regular. Algumas empresas oferecem acesso gratuito (freemium) com recursos limitados para dar uma prévia do serviço para potenciais assinantes.
  • Curadoria. A empresa vai customizar uma coleção de produtos de acordo com as preferências do comprador. Em muitos casos, o usuários podem experimentar o item e comprá-lo de maneira definitiva. Se ele não ficar contente, o produto pode ser devolvido.
  • Reabastecimento. Esta assinatura geralmente é destinada a bens de consumo que as pessoas compram com frequência, como as compras de mercado. A empresa vai reabastecer automaticamente esses itens na frequência combinada.

Esse tipo de modelo de eCommerce está crescendo em popularidade, com mais da metade dos clientes usando múltiplos serviços. Os motivos mais citados incluem a possibilidade de uma experiência personalizada, a conveniência e o custo/benefício.

Exemplo de Serviço de Assinatura – Trade Coffee

página inicial da trade coffee

O Trade Coffee é um serviço de assinatura que entrega grãos de café para seus clientes. Assim que entram no serviço, os usuários respondem a um questionário no site, que ao final vai recomendar o item ideal. Os clientes podem customizar a frequência das encomendas ou fazer uma compra isolada.

Tipos de eCommerce: Um Resumo

Neste artigo, nós falamos sobre quais são os diferentes tipos de eCommerce com base no seu público-alvo e em como eles operam. Nós também oferecemos alguns exemplos reais para mostrar como são esses modelos na prática.

Aqui está um resumo curto dos tipos de eCommerce sobre os quais nós falamos, começando pelo modelo de negócio:

  • Business to business (B2B). Empresas que vendem para outras empresas. Um exemplo é o Slack, um software de comunicação amplamente conhecido.
  • Business to consumer (B2C). Seu mercado é composto pelos clientes que vão usar os produtos ou serviços de modo pessoal. É o modelo de negócios mais conhecido.
  • Consumer to consumer (C2C). Empresas que oferecem uma plataforma para os clientes comprarem e venderem uns dos outros.
  • Consumer to business (C2B). Como no modelo C2C, tais plataformas são dedicadas a conectarem as empresas com freelancers.
  • Business to administration (B2A). Empresas que oferecem produtos ou serviços para agências governamentais.
  • Consumer to administration (C2A). Refere-se a todas as transações que acontecem entre clientes e órgãos do governo.

Finalmente, um resumo dos tipos de eCommerce com base no modelo de receitas:

  • Dropshipping. Lojas online que trabalham com fornecedores third-party para lidar com o estoque e o envio dos seus bens para os clientes.
  • Atacado. Empresas que compram e revendem os produtos a granel para os varejistas.
  • Private labeling. Empresas que firmam parcerias com as fabricantes para criar produtos customizados usando sua própria marca.
  • White labeling. Usando este modelo de receita, a marca vai comprar uma linha de produtos pronta de uma fabricante e aplicar o seu branding antes de vendê-los.
  • Serviço de Assinatura. Empresas que recebem pagamentos recorrentes em troca de oferecer produtos ou serviços para os clientes de maneira regular.

Esperamos que este aprendizado sobre os diferentes tipos de eCommerce ajude você a planejar o seu próximo empreendimento. Se você tiver perguntas ou sugestões, deixe um comentário abaixo!

Author
O autor

Carlos E.

Carlos Estrella é formado em jornalismo pela UFSC e tem as funções de redator, tradutor e SEO na Hostinger Brasil. Já trabalhou com jornalismo de games e tecnologia e hoje aplica essa experiência escrevendo posts e tutoriais no blog da Hostinger. Suas paixões incluem games, dar rolês com a namorada e amigos e ler artigos aleatórios da Wikipédia de madrugada.