As 15 Principais Tendências de e-Commerce que Você Deve Conhecer em 2023

As 15 Principais Tendências de e-Commerce que Você Deve Conhecer em 2023

A indústria global do e-Commerce está em constante evolução. Para se manterem relevantes e competitivos, os negócios online devem acompanhar as últimas tendências de e-Commerce e as expectativas dos clientes, que estão em constante mudança. Ficar para trás significa perder vendas.

Este artigo detalhará 15 tendências de e-Commerce que você precisa conhecer em 2023 e além. Abordaremos o que está em alta nas lojas virtuais, nos CRMs e nos CROs, assim como as soluções tecnológicas inteligentes — tipo inteligência artificial, AR/VR e o ambiente headless.

Ao final deste artigo, você estará mais preparado para atender às futuras expectativas do setor de e-Commerce, descobrir novas maneiras de melhorar a eficiência e oferecer uma experiência de compra online de alto nível.

1. Gestão do Relacionamento com o Cliente

A gestão do relacionamento com o cliente (CRM) inclui ferramentas e estratégias para ajudar as empresas de e-Commerce a gerenciar a interação com os consumidores. 92% dos clientes abandonariam uma empresa após duas ou três interações negativas, tornando o CRM essencial na indústria de e-Commerce.

O CRM permite que os empresários entendam melhor as necessidades e o comportamento de seus usuários. Isso ajuda a fortalecer relacionamentos e construir uma base de clientes fiéis.

Espera-se que o tamanho do mercado de CRM atinja R$ 671 bilhões até 2028, com uma taxa média de crescimento anual composto (TCAC) de 12%. Além disso, mais de 91% das empresas com 10 ou mais funcionários usam o CRM para gerenciar as conversas com os clientes.

Programas de fidelidade e recompensa são excelentes estratégias de CRM. 75% dos clientes favorecem empresas que oferecem recompensas. Esses programas também melhoram as taxas de retenção em 5% e os lucros em 25% a 95%.

O programa de fidelidade da The North Face, chamado de XPLR Pass, permite que os clientes ganhem pontos por meio de:

  • Compras
  • Usar uma sacola de compras reutilizável
  • Check-ins na loja
  • Check-ins de localização única
  • Baixar seu aplicativo
  • Indicar um amigo
A página inicial da The North Face, uma loja de comércio eletrônico que oferece um programa de fidelidade para retenção de clientes.

Cada 100 pontos dão aos clientes uma recompensa de US$ 10 que eles podem gastar em produtos da The North Face. Os membros da fidelidade também podem acessar produtos exclusivos, presentes de aniversário e testes de campo.

O CRM continuará a ser uma das principais estratégias para melhorar o envolvimento do cliente. Por isso, investir em uma ferramenta de CRM pode ser ótimo para o crescimento de um negócio.

Se você é um usuário do WordPress, instale plug-ins de CRM como HubSpot CRM ou JetPack CRM. Esses plug-ins permitem que você personalize sua estratégia, incluindo gerenciamento de marketing por e-mail, integração social e recursos de criação de funil.

2. Comércio Híbrido

O futuro do e-Commerce é figital (mistura de físico e digital). 80% dos consumidores consideram que o cenário atual é uma mistura de canais online e experiências físicas de varejo. Portanto, as compras híbridas fornecem uma vantagem competitiva para qualquer negócio.

O comércio híbrido, também conhecido como venda omnichannel, integra várias plataformas e canais para fornecer uma experiência perfeita. Isso pode envolver sites, aplicativos da web, mercados online e lojas físicas.

Sites de e-Commerce e Aplicativos Web

Uma maneira simples de conduzir a venda omnichannel é construindo um site compatível com dispositivos móveis. As compras móveis serão responsáveis ​​por 44,2% do e-Commerce até 2024. Portanto, adotar esse modelo é uma ótima maneira de ficar à frente dos concorrentes.

Proprietários de empresas de e-Commerce também podem optar por um aplicativo da web progressivo (PWA). Um exemplo é a Zadig & Voltaire.

A página do produto PWA de Zadig & Voltaire.

Um PWA é uma solução que só traz benefícios para quem precisa escolher entre criar um aplicativo de e-Commerce ou uma loja online responsiva. Construídos em HTML, CSS e JavaScript, os aplicativos da Web progressivos agem como aplicativos nativos que são compatíveis em diferentes dispositivos e navegadores.

Mercados Online

Mesmo que você já tenha um site ou aplicativo de e-Commerce robusto, considere oferecer seus produtos em mercados online. Até 2025, as vendas globais no mercado online devem atingir R$ 46,1 trilhões em 20% da TCAC.

Além disso, a maioria dos marketplaces oferece vários produtos, frete grátis e devoluções. Para alguns consumidores, eles são mais convenientes do que comprar em várias lojas online.

Se a sua marca é nova, venda na loja dos principais marketplaces da sua região e aproveite seu alto volume de tráfego. Agora, se sua marca estiver mais estabelecida, use esses mercados para atrair clientes para o seu site. Por exemplo, ofereça códigos de desconto que eles possam usar ao comprar na sua loja.

Clique e Retire

Clique e retire combina experiências de compras online e físicas. Este serviço possibilita a solução de compra online, retirada na loja (CORL) e retirada drive thru. Os consumidores podem finalizar a compra online e retirar seus produtos na loja ou na estação drive thru.

Este modelo oferece a conveniência de compras online, visitas rápidas à loja e frete zero. Sem surpresa, muitos varejistas estão implementando esse serviço, incluindo Walmart, Target e IKEA.

Estima-se que o valor do mercado de clicar e retirar supere R$ 808 bilhões até 2025.

Pesquise Online, Compre Offline

À medida que os efeitos da pandemia diminuem em muitas regiões do planeta, as pessoas estão ansiosas para comprar em lojas físicas novamente. Em junho de 2021, 70% dos consumidores americanos não estão mais preocupados em fazer compras na loja. Como resultado, há um aumento de 44% nas visitas presenciais à loja.

Esta situação fomenta o comportamento do consumidor de pesquisar online, comprar offline (ROPO).

Além de taxas de envio zero, o ROPO permite que os clientes garantam a compatibilidade de um produto. Afinal, 56% dos compradores querem ver, tocar e sentir os produtos antes de comprar.

A Bonobos, loja de roupas e acessórios masculinos, teve sucesso com a estratégia de ROPO utilizando guias.

Um guia Bonobos que combina experiências de compras na loja com compras online.

Os compradores podem experimentar tamanhos diferentes para descobrir qual deles se adapta melhor. Em seguida, eles podem fazer um pedido no site da Bonobos. Os guias também atuam como um centro de sucesso do cliente, onde os compradores podem fazer perguntas e devolver itens.

Para o seu próprio negócio de e-Commerce, pesquise casos em que seu público preferiria visitar uma loja física. Se o sentimento for forte, atenda a essas necessidades e veja se vale a pena prosseguir em uma escala maior.

Lembre-se de oferecer uma experiência consistente ao cliente ao equilibrar os canais online e offline. Este esforço compensa bem — a taxa de pedido é 494% mais alta para empresas que utilizam campanhas omnichannel.

3. Adoção de Inteligência Artificial

A inteligência artificial (IA) é uma tecnologia que imita a inteligência humana. Ela pode aprender e se adaptar ao comportamento do consumidor, produzindo resultados mais precisos e valiosos. Ao adotar tecnologias de IA, as empresas podem oferecer a seus clientes uma experiência de compra mais rica.

O futuro da IA ​​no cenário do e-Commerce é promissor. Até 2027, o mercado global de IA está projetado para atingir R$ 1,4 trilhão — contribuindo com R$ 82,4 trilhões para a economia global até 2030. Além disso, mais de 90% das marcas e empresas líderes investem em IA continuamente.

Felizmente, muitos aspectos do e-Commerce podem se aproveitar da tecnologia de IA. As principais áreas onde as empresas implementam IA são personalização (70%) e busca no site (54%).

Personalização

A personalização é uma tendência crescente que está progredindo de forma constante. Com uma TCAC de 23,5%, o mercado de software de personalização deve crescer em R$ 10 bilhões até 2027. Isso é um salto significativo em relação aos R$ 4 bilhões que se estima que esse mercado movimentou em 2021.

A personalização permite que os usuários recebam sugestões de produtos e campanhas de e-mail direcionadas com base em atividades anteriores. Uma experiência personalizada de qualidade ajuda uma empresa a atrair e reter clientes sem estratégias de marketing adicionais. Assim, reduzindo os custos de aquisição de clientes.

Mais do que 60% dos consumidores têm maior probabilidade de se tornarem compradores recorrentes se uma empresa oferece uma experiência de compra personalizada. Eles esperam que as empresas sejam proativas e sugiram quais produtos podem precisar a seguir. Além disso, as recomendações de produtos representam até 31% das receitas das lojas de e-Commerce.

Aprender as preferências dos clientes também faz com que eles se sintam apreciados e cuidados. Portanto, é uma boa prática aplicar personalização em cada fase do funil de marketing. Por exemplo, durante o estágio TOFU, os profissionais de marketing podem ajustar a personalização com base no engajamento da página.

Combinando IA e aprendizado de máquina, a Starbucks é uma das empresas de e-Commerce que fazem personalização com sucesso. Na Starbucks, as bebidas personalizadas sempre foram populares. A partir do terceiro trimestre de 2022, 60% dos pedidos de bebidas geladas da Starbucks são personalizados.

O painel de opções e personalizações de tamanho para a bebida misturada Apple Crisp Oatmilk Frappuccino da Starbucks

A cafeteria usa os dados extraídos desse comportamento do cliente para oferecer sugestões de bebidas hiperpersonalizadas.

A Starbucks rastreia os dados do cliente no aplicativo móvel para gerar ofertas exclusivas e atraentes em tempo real. O app considera as preferências do cliente, sua atividade, suas compras anteriores e a sua localização antes do envio de mais de 400 mil mensagens personalizadas por meio de notificações push.

Pesquisa de Sites

A pesquisa de sites com tecnologia de IA usa aprendizado de máquina e NLP para determinar a intenção por trás de uma busca e oferecer os resultados mais relevantes. O avanço da IA possibilita a pesquisa visual, permitindo que os compradores realizem pesquisas usando imagens em vez de inserir palavras-chave.

A pesquisa visual está prevista para crescer em uma TCAC de 17,5%, antecipando mais de R$ 167 milhões em valor de mercado até 2028.

Além disso, pesquisas mostram que 62% dos millennials e da geração Z deseja usar a pesquisa visual. No entanto, apenas cerca de 8% das marcas de e-Commerce oferecem essa funcionalidade. Esta é uma oportunidade inexplorada que sua empresa pode utilizar.

Um dos varejistas online mais populares, ASOS, emprega pesquisa visual por meio do seu recurso de Correspondência de Estilo.

Com a Correspondência de Estilo, os clientes podem enviar uma foto de um item que desejam comprar online. Em seguida, eles receberão uma lista de produtos mais semelhantes à imagem carregada. Esse recurso ajuda os clientes que não têm certeza de quais palavras-chave usar ao pesquisar um item.

Como o recurso está disponível apenas no aplicativo móvel da ASOS, a implementação de IA também otimiza as experiências dos usuários móveis.

Os proprietários de empresas podem aderir a essa tendência usando fotos de produtos de alta qualidade. Isso ampliará a capacidade de descoberta de sua loja em plataformas com recurso de pesquisa visual, como Google e Pinterest.

A página inicial do Google Lens, um mecanismo de pesquisa visual.

4. Realidade Aumentada e Virtual

Realidade aumentada (AR) integra o mundo físico e real com imagens, sons ou outros estímulos gerados por computador. Enquanto isso, a realidade virtual (VR) é uma experiência simulada que usa um headset VR especial para colocar o usuário em um ambiente aparentemente real, porém gerado por computador.

Várias marcas de e-Commerce estão adotando tecnologias AR e VR para oferecer uma experiência de compra mais envolvente.

Os consumidores reagem positivamente a essas tecnologias. De acordo com uma pesquisa, 71% compraria mais se uma empresa usasse AR. Além disso, as empresas que utilizam VR com sucesso aumentaram seus taxas de conversão em 17%.

Atualmente, o uso VR e AR no e-Commerce ainda está em seus primeiros dias. Em 2021, apenas 1% dos varejistas online usaram AR. Portanto, adotar AR e VR no início pode colocar um negócio de e-Commerce à frente da curva tecnológica.

A IKEA é uma das empresas que abre caminho para a realidade aumentada.

O aplicativo móvel IKEA Place usa a Plataforma ARKit da Apple para permitir que os clientes visualizem imagens de produtos 3D reproduzidas digitalmente em suas casas. Usando apenas seu dispositivo móvel, os usuários podem examinar se uma peça de mobiliário se encaixa bem em uma sala.

A página da aplicação IKEA Place

Além de adicionar um recurso de realidade aumentada ao aplicativo móvel do seu negócio de e-Commerce, você pode desenvolver uma experiência de realidade virtual que permite que os clientes interajam com os produtos de forma imersiva.

5. Otimização da Taxa de Conversão

Uma das tarefas essenciais ao executar um site de e-Commerce é converter seu tráfego em clientes compradores. Aplicar a otimização da taxa de conversão (CRO) incentiva os visitantes do site a comprarem seus produtos ou se inscrever em seu boletim informativo.

Importante! As conversões não são apenas vendas e inscrições online. Elas também podem incluir clientes adicionando produtos à sua lista de desejos ou carrinho.

O futuro do CRO é centrado no cliente. Mais profissionais de marketing se concentrarão em descobrir o que atrai os visitantes e o que os impede de agir, garantindo a melhor experiência do usuário possível.

Otimizar o desempenho do site de e-Commerce é um excelente ponto de partida. Os proprietários de empresas devem criar estratégias para seus desenvolvimentos de e-Commerce e otimizar cada ponto de contato com o cliente. Aqui estão várias ações a serem consideradas:

  • Aproveite as landing pages – sites com mais de 30 landing pages rendem sete vezes mais leads em comparação com aqueles com menos de 10. Lembre-se de criar uma copy direta para minimizar distrações desnecessárias.
  • Crie botões de chamada para ação (CTA) eficazes – use cores contrastantes, escreva textos encorajadores e crie um senso de urgência ao fazer CTAs.
  • Otimize seu site para usuários móveis – o comércio móvel está crescendo, por isso é crucial deixar seu site de e-Commerce compatível com dispositivos móveis. Isso ajuda as pessoas a navegarem pelas lojas quando estão fora de casa.
  • Conduza testes de usabilidade do site – os profissionais de marketing podem medir o desempenho de uma estratégia CRO por meio de testes A/B ou avaliando duas versões de uma página da web ou de uma CTA. As estatísticas revelam que 60% das empresas já estão implementando testes A/B e 34% planejam utilizar a estratégia.

Um estudo mostra que o retorno médio dos investimentos no uso de ferramentas CRO é superior a 223%. Portanto, integrar uma ferramenta do tipo ao seu site de e-Commerce é uma jogada inteligente.

Para processar dados quantitativos, use Google Analytics ou Mixpanel.

Painel do Mixpanel onde os profissionais de marketing podem analisar dados quantitativos

Por outro lado, Hotjar e Glassbox são ótimas ferramentas CRO para análise de dados qualitativos.

6. Suporte ao Cliente como Prioridade

O suporte ao cliente foi e sempre será essencial em todos os negócios. Problemas com produtos ou serviços podem afastar clientes existentes e potenciais compradores. Em última análise, a empresa é responsável por oferecer uma assistência de qualidade.

Muitos sites de e-Commerce não possuem lojas físicas com atendimento presencial. É por isso que é vital saber fornecer suporte online.

De acordo com 81% dos clientes, uma experiência de suporte positiva os incentiva a comprar novamente na mesma loja. Além disso, o tempo de resposta é um fator essencial na interação com o atendimento ao cliente. 60% dos clientes concordam que 10 minutos ou menos é uma boa referência para um tempo de resposta imediato.

A demanda do consumidor por interação instantânea é o motivo pelo qual o chat em tempo real se tornou o método de suporte preferido. 41% dos consumidores escolhem chat em tempo real em vez de outros canais — como telefone e e-mail — porque ele oferece ajuda imediata com o mínimo de esforço.

Para empresas, o chat em tempo real é mais barato que o suporte por telefone. Ao contrário do suporte por telefone, um agente de chat ao vivo pode ajudar vários clientes simultaneamente. Uma equipe de suporte ao cliente que pode ajudar mais pessoas acelera o tempo de resposta e melhora a experiência do cliente.

Apesar da crescente demanda por atendimento ao cliente em tempo real, muitas empresas agora usam chatbots para substituir um agente de suporte nos estágios iniciais de comunicação.

Chatbots – conduzidos por aprendizado de máquina, inteligência artificial e processamento de linguagem natural (NLP) – podem falar com os usuários de maneira humana. Os chatbots podem ajudar a responder perguntas básicas e decidir se um cliente precisa de ajuda mais avançada de um agente de suporte.

Se sua marca atende a um público internacional, forneça chatbots multilíngues para ajudá-lo a se conectar melhor com o público global de e-Commerce. Ele remove a barreira do idioma para os esforços de suporte ao cliente da sua marca.

Dica do Especialista

Os chatbots melhoraram a satisfação do cliente e essa tendência continuará crescendo. Eles são a escolha principal para mais de 60% de todos os clientes finais.

As empresas usam chatbots para melhorar o atendimento ao cliente, fornecer respostas mais rápidas e precisas e coletar dados para aprimorar a experiência do cliente.

Acima de tudo, seus consumidores receberão atendimento personalizado e imediato, algo que todas as empresas de e-Commerce devem buscar.

Editor

Adam G.

Fundador do The Stock Dork

Chatbots como assistentes pessoais

Os chatbots agora podem se conectar com os usuários com mais eficiência e assumir tarefas mais avançadas, como serem assistentes pessoais.

Os chatbots de assistência pessoal ajudam a simplificar a jornada do cliente da aquisição à retenção.

Por exemplo, um chatbot pode alertar os compradores com ofertas promocionais, convertendo-os em clientes potenciais engajados. Ele também pode responder a perguntas frequentes, obter avaliações de usuários e fornecer recomendações para incentivar uma compra.

Com um TCAC médio de 25,7%, a previsão é de que o mercado global de chatbot valerá R$ 21 bilhões até 2030. Como a demanda por resposta imediata cresce continuamente por 64% ao ano, utilizar chatbots pode ser uma boa decisão para o seu negócio.

Uniqlo QI é um ótimo chatbot de assistente pessoal. Além de fornecer atendimento ao cliente, o Uniqlo IQ ajuda os usuários a:

  • Pesquisar produtos
  • Escolher um conjunto com base na ocasião
  • Escolher uma roupa com base em diferentes estilos de moda
  • Selecionar o melhor item que combina com a compra recente
A página inicial do Uniqlo IQ, traduzida para o inglês, pode ajudar os clientes a escolher roupas com base nas ocasiões.

Adicionar chatbots a lojas de e-Commerce é relativamente fácil. Se você é um usuário do WordPress, Tidio, IBM Watson Assistant e Collect.chat são alguns dos melhores plugins de chatbot orientados por IA.

7. Comércio Social

A mídia social é um canal de vendas eficaz, especialmente para aproveitar ao máximo as compras pelo celular.

79% dos usuários de smartphones fizeram uma compra usando seus dispositivos móveis. Coincidentemente, o celular é onde as pessoas mais acessam as plataformas de mídia social. Em 2021, 122,3 milhões usuários do Facebook acessaram à plataforma exclusivamente a partir de celulares.

O comércio social é uma tendência porque permite que os compradores online naveguem pelos produtos, interajam com as marcas e façam pedidos sem sair do aplicativo de mídia social. Também é conveniente para as empresas vender produtos diretamente para usuários de mídia social.

Em comparação com a criação de um site de e-Commerce ou o registro em um mercado, a venda em canais de mídia social é mais econômica. Portanto, pode ser uma excelente escolha para lojas de e-Commerce menores.

Essa já é uma indústria multibilionária, mas espera-se que as vendas de comércio de mídia social tripliquem até 2025, atingindo R$ 6,3 trilhões.

Além disso, a quantidade de usuários de redes sociais globais passou da marca de quatro bilhões em 2021 e devem chegar a quase seis bilhões em 2027.

As empresas de e-Commerce devem aproveitar essa tendência, especialmente porque 75% dos usuários usam plataformas de mídia social para pesquisar produtos. O Facebook é a plataforma mais popular, com cerca de 2,9 milhões usuários em todo o mundo.

tendencias de ecommerce para diferentes redes sociais

Graças às plataformas de e-Commerce integradas, como Facebook Shops e Anúncios compráveis ​​do Pinterest, os proprietários de empresas podem realizar esta nova forma de venda de maneira conveniente.

Além disso, planeje e execute campanhas nas principais plataformas sociais, como Twitter e TikTok, para alcançar mais clientes em potencial. Uma presença sólida nas redes sociais também ajuda a manter o relacionamento com o cliente.

Marketing de Influenciadores

Marketing de influenciadores está entre as melhores maneiras de promover lojas de e-Commerce social. Ajuda a impulsionar o tráfego orgânico e atrair novos clientes com custos mais baixos. Para cada real gasto, gera um retorno de R$ 35.

60% dos comerciantes descobriu que o conteúdo gerado por influenciadores gera mais engajamento e tem melhor desempenho do que postagens da marca. Ainda por cima, 80% dos consumidores compraram produtos com base nas recomendações do influenciador.

Observe que você não precisa colaborar com macroinfluenciadores imediatamente.

Na verdade, os microinfluenciadores — aqueles que têm de 10 mil a 50 mil seguidores — são mais eficazes hoje em dia. Seguidores são supostamente mais engajados e dispostos a comprar com base nas recomendações de seus microinfluenciadores favoritos.

Acima de tudo, certifique-se de trabalhar com influenciadores que se encaixam no seu nicho e representam os valores da sua marca.

Um dos principais varejistas online, Net-A-Porter, faz bem o marketing de influenciadores.

Artigo do Net-A-Porter, onde os leitores podem comprar diretamente os produtos apresentados no artigo por meio de botões de compra incorporados

A Net-A-Porter publica artigos sobre moda e estilo de vida escritos por influenciadores, celebridades e pessoas-chave da indústria. Tais artigos exploram as emoções inconscientes do público, permitindo que as marcas promovam seus produtos sem exagerar.

Para incentivar as vendas, o Net-A-Porter fornece links Shop the Look nas fotos dos entrevistados.

Compras ao Vivo

Os proprietários de empresas também podem aproveitar os recursos ao vivo dos canais de mídia social.

As compras online ao vivo são uma solução interativa de streaming de vídeo para marcas de e-Commerce discutirem seus produtos e responderem a perguntas do público em tempo real. É uma ótima maneira de criar uma experiência envolvente e interativa.

Além disso, você aumenta a confiança do cliente ao mostrar o tamanho, a forma e o material do seu produto em vídeos ao vivo não editados. É algo semelhante a visitar uma loja, onde as pessoas podem entrar por escolha, sem cookies ou rastreamento envolvidos.

As compras de e-Commerce ao vivo deverão alcançar R$ 290 bilhões até 2026 e continuarão a crescer de forma constante. Como uma das tendências de e-Commerce mais promissoras, as compras ao vivo desempenham um papel crucial na reformulação do e-Commerce no futuro.

Para aderir a esta tendência de e-Commerce, investigue se ela se encaixa no seu público. Moda é a categoria de produto mais exibida no comércio ao vivo, seguido por produtos de beleza. Em termos demográficos, a geração millennial e a geração Z dominam o público.

Teste as águas com transmissões ao vivo ocasionais com foco em alguns produtos. Em seguida, analise o número de visualizações e as taxas de conversão. Você poderá medir o interesse do seu público no comércio ao vivo e agir de acordo.

Promova o evento de compras ao vivo em suas contas de redes sociais e inclua informações sobre o que alguém pode esperar do evento. Para aumentar o engajamento, crie uma sensação de escassez oferecendo descontos exclusivos durante a transmissão ao vivo.

8. Pesquisa por Voz

A pesquisa por voz permite que as pessoas realizem várias tarefas ao mesmo tempo, ajudando-as a economizar tempo e evitar o incômodo de digitar uma consulta em uma barra de pesquisa.

Uma pesquisa da CouponFollow mostra que cerca de 47% dos compradores usaram comandos de voz para fazer uma compra online, e 58% deles ficaram satisfeitos com suas experiências de compra por voz.

A capacidade da tecnologia de voz de capturar hábitos de compra levou 61% dos entrevistados a usá-la para recomprar pedidos salvos. Isso explica por que os itens comprados com mais frequência por compras por voz são necessidades diárias, como mantimentos (48%).

O valor de mercado da pesquisa por voz é estimado em crescer em um TCAC de 23,7%, antecipando um salto de uma estimativa de R$ 59,1 bilhões em 2022 para R$ 262,6 bilhões em 2029.

Embora o mercado seja promissor, as compras por voz ainda apresentam várias desvantagens.

40% dos compradores acham difícil procurar produtos usando compras por voz. Os resultados da pesquisa por voz também podem ser imprecisos. Além disso, 31% dos usuários expressaram preocupação com sua privacidade, com 27% preocupados com seus dados financeiros.

Muitas empresas se esforçaram para convencer os clientes de que a compra por voz é segura. No entanto, ainda é uma maneira relativamente nova de fazer compras online. Pode demorar um pouco até que a maioria das pessoas se sinta confortável com isso.

Para otimizar sua loja de e-Commerce para pesquisa por voz, almeje a primeira posição no Google, já que a assistente virtual lê o conteúdo melhor ranqueado em pesquisadores de voz.

Além disso, execute uma estratégia de palavras-chave adequada. As pessoas tendem a fazer perguntas completas em vez de frases ao usar a pesquisa por voz.

Por exemplo, para encontrar lojas online próximas que vendem máscaras, alguém pode dizer: “Ok, Google, onde comprar máscaras perto de mim?”. Enquanto isso, é mais provável que eles digitem “comprar máscaras perto de mim” ao realizar uma pesquisa na web.

9. Automação de Marketing

A automação de marketing, com a ajuda do aprendizado de máquina, permite que as empresas automatizem tarefas de marketing de rotina, como anúncios, divulgação e emails de acompanhamento.

Essa tecnologia não depende de mensagens genéricas. Ela coleta e analisa os dados do cliente para criar mensagens personalizadas para cada etapa da jornada do comprador. O resultado é um maior envolvimento do cliente e maiores taxas de conversão.

A automação de marketing crescerá em 12,8%, podendo chegar a uma valor antecipado de R$ 50,1 bilhões até 2027. Devido à sua eficácia na simplificação de fluxos de trabalho, a automação de marketing economiza uma quantidade significativa de tempo, ou seja, mais de seis horas por semana.

Para ficar por dentro dessa nova tendência de e-Commerce, 40% dos profissionais de marketing planejam implementar a automação em suas campanhas por e-mail.

Para evitar uma alta taxa de abandono de carrinho, o algoritmo de automação de marketing pode enviar e-mails automatizados de carrinho abandonado para incentivar os clientes a concluírem o checkout.

infográfico mostra principais motivos para clientes abandonarem o carrinho de compra

Como os altos custos de envio são um motivo significativo para o abandono de carrinhos, você pode oferecer cupons de frete grátis como incentivo e promovê-los por e-mail.

Muitas ferramentas estão disponíveis para ajudar a integrar a automação em um loja online. Se você usa email marketing, opte por ferramentas de automação de email como Mailchimp e Constant Contact. Para usuários do WordPress, plugins de automação de marketing como o ActiveCampaign são úteis.

10. Modelos de Assinatura

Nos últimos anos, os compradores se acostumaram cada vez mais com a conveniência de fazer compras online. O modelo de assinatura é uma das soluções mais práticas para cobrir suas despesas recorrentes.

Crescendo exponencialmente em um TCAC de 68%, estima-se que o mercado de assinaturas vai alcançar R$ 2,5 trilhões até 2025. Outro estudo mostra que os clientes antecipam 27% de aumento no uso de assinaturas.

Vários produtos vêm como assinaturas — desde kits de refeições diárias como HelloFresh a entregas mensais de roupas. Em outubro de 2022, HelloFresh atraiu mais de sete milhões de clientes em todo o mundo com seus planos personalizáveis.

A página inicial do Hello Fresh, um serviço de assinatura de kit de refeição

Mostrando crescimento sustentável, 70% dos líderes empresariais concordam que o modelo de assinatura desempenha um papel vital no futuro do crescimento e expansão do e-Commerce. Dito isto, a taxa de rotatividade é um dos principais desafios desse modelo de negócio digital.

Para reduzir a rotatividade de assinaturas, ofereça vantagens especiais, como entrega gratuita, preços mais baixos e acesso a produtos limitados. Manter uma boa comunicação com seus clientes, como informá-los sobre entregas atrasadas, também é uma ótima maneira de aumentar a confiança do cliente.

11. Compras Online Sustentáveis

52% dos consumidores em todo o mundo admitiram que a pandemia os fez valorizar mais as questões de sustentabilidade. Uma pesquisa também mostra que quase 80% dos clientes consideram a sustentabilidade do produto, o varejista ou a marca ao fazer compras.

Como tal, os impactos ambientais do e-Commerce estão se tornando uma preocupação mais significativa.

Um grande campo de interesse é como os pedidos são embalados e entregues. Em 2020, o transporte marítimo representou 11% das emissões totais de CO2 no setor de transporte em todo o mundo, tornando-se a terceira maior fonte de poluição.

65% dos clientes tentam comprar produtos embalados de forma sustentável e 29% evitam regularmente embalagens plásticas. Além disso, 52% dos consumidores dos EUA e do Reino Unido exigem que as marcas de e-Commerce criem produtos com menos embalagem, com 31% dos consumidores americanos dispostos a pagar mais por uma entrega ecológica.

Essas estatísticas mostram que os consumidores querem uma experiência de compra mais ecológica do que a que as empresas oferecem atualmente. Para aumentar a competitividade no cenário futuro do e-Commerce, empresas experientes se adaptarão a essa mudança em larga escala no comportamento do cliente.

Um ótimo exemplo de negócio de e-Commerce sustentável é a mercearia online Thrive Market. Ela oferece produtos de origem ética entregues aos clientes em embalagem neutra em carbono. Além disso, seus armazéns são de desperdício zero.

O site da Thrive Market, uma loja de comércio eletrônico sustentável

Assim, deslocar-se para mais opções de embalagem ecológica está entre as formas mais eficazes de introduzir a sustentabilidade em torno de uma marca. Papel e papelão são excelentes materiais recicláveis. Se você ainda precisar de plástico, use plásticos biodegradáveis ​​ou bioplásticos à base de plantas.

12. Comércio Headless

Comércio headless é uma solução de e-Commerce que separa o front-end e o back-end de um site ou aplicativo. Usando interfaces de programação de aplicativos (APIs), o comércio headless pode fornecer conteúdo para qualquer estrutura de front-end.

Com esta solução de arquitetura, as compras de e-Commerce não se limitam apenas a desktops, laptops e dispositivos móveis. Os consumidores podem navegar e comprar através de dispositivos da Internet das Coisas (IoT) como alto-falantes inteligentes e dispositivos fitness inteligentes.

Como resultado, o headless commerce unifica todas as experiências de compra, aumenta a flexibilidade e abre possibilidades de vendas. Ele também pode simplificar a venda omnichannel, pois as empresas headless podem incorporar rapidamente novos canais de vendas de e-Commerce.

Devido às suas vantagens, a adoção do e-Commerce headless aumentou nos últimos anos. 64% das empresas usaram a abordagem headless em 2021 — um dramático aumento de 25% em relação a 2019. Gigantes corporativos como Amazon, Toyota e McDonald’s estão colhendo os benefícios.

O ambiente headless logo se tornará uma nova tendência de e-Commerce. Portanto, considere migrar para um sistema de gerenciamento de conteúdo (CMS) headless, como Sanity.io e Strapi.

Como alternativa, opte por uma plataforma de e-Commerce headless, como Shopify Plus e BigCommerce.

Se você já usa o WordPress como sua plataforma de e-Commerce, também pode usá-lo como um CMS headless.

13. Opções de Pagamento Flexíveis

Não perca compradores em potencial apenas porque seu site não aceita o método de pagamento preferido. Os profissionais de marketing devem considerar oferecer opções de pagamento populares e alternativas para obter uma vantagem inicial na tendência futura do e-Commerce.

Métodos de Pagamento Populares

Carteiras digitais ou móveis contabilizam 49% das transações globais de e-Commerce em 2021, tornando-se o método de pagamento mais popular em todo o mundo. Espera-se que facilitem cerca de 53% de todas as transações de e-Commerce até 2025.

Os cartões de crédito ficaram em segundo lugar com uma quota de mercado de 21%, seguidos pelos cartões de débito (13%), transferências bancárias (7%) e pelas soluções compre agora, pague depois (BNPL) (3%).

métodos de pagamento mais populares

E embora não se espera que a criptomoeda se torne uma opção de pagamento popular em breve, mais empresas estão começando a aceitá-la.

Sugerimos fornecer estes métodos de transação para todas as compras online:

  • Carteiras digitais (incluindo pagamentos móveis, como Apple Pay)
  • Cartões de crédito
  • Cartão de débito
  • Transferências bancárias
  • Criptomoeda

No entanto, lembre-se de que a popularidade de determinados métodos de pagamento varia de acordo com a região. Por exemplo, a maioria das pessoas na Coreia do Sul favorece cartões de crédito em comparação com outras opções de pagamento. Enquanto isso, as transferências bancárias são a forma de pagamento mais popular na Tailândia.

métodos de pagamento de diferentes países

Parcelamento

Fornecer um esquema de pagamento alternativo pode adicionar uma vantagem competitiva ao seu negócio. Uma das opções mais populares é o parcelamento, que permite que os clientes paguem os produtos em prestações, muitas vezes sem juros.

Este método de pagamento é projetado como responsável por R$ 3,5 bilhões no volume de transações até 2025, e esse aumento continuará a crescer.

Por ser acessível a muitos clientes, o parcelamento é uma ótima maneira de melhorar a experiência do cliente. O pagamento inicial mais baixo desse método deixa os clientes mais confiantes para fazerem compras. Isso aumenta as vendas e reduz a taxa de abandono de carrinho em 35%.

Klarna está entre os maiores e mais bem-sucedidos provedores que oferecem esse método, que lá fora está começando a se popularizar na forma do Compre Agora, Pague Depois (da sigla em inglês BNPL). Experimentando um rápido crescimento em 2021, o valor bruto de mercadoria (GMV) da Klarna para o mercado dos EUA aumentou 334% em relação a 2018.

O BNPL é aplicável a vários produtos, desde alimentos até itens mais caros, como eletrônicos.

Para adicionar esta solução de pagamento à sua página de checkout, use um gateway de pagamento que ofereça suporte a pagamentos parcelados. Além de Klarna, outros excelentes provedores de BNPL incluem PayPal, Affirm e Afterpay.

14. Opções de Entrega Rápida e Gratuita

Muitos clientes esperam que suas compras online cheguem o mais rápido possível. Na verdade, apenas 15% dos compradores online estão satisfeitos com as velocidades de entrega de produtos de e-Commerce.

Como resultado, mais lojas de e-Commerce estão oferecendo prazos de entrega mais rápidos para atender às expectativas do consumidor. Por exemplo, a Amazon alcançou uma cadeia de suprimentos mais rápida distribuindo seus armazéns de estoque globalmente.

Além da velocidade, frete grátis ou acessível é outra tendência de e-Commerce que os proprietários de empresas devem observar.

O relatório Jungle Scout Consumer Trends revela que 72% dos compradores online dos EUA buscam produtos com os menores preços de frete. Em outras palavras, muitos são mais influenciados pelos custos de envio do que pelos preços reais dos produtos.

Tanto a velocidade de envio quanto o preço continuarão a influenciar o futuro do e-Commerce. Se você não pode oferecer entregas rápidas ou armazenamento avançado, desconto ou frete grátis é um incentivo que vale a pena buscar.

15. Privacidade dos dados

Uma pesquisa da Cisco descobriu que 86% dos consumidores se preocupam com a privacidade dos dados — eles exigem transparência e controle sobre como as empresas usam seus dados. 47% dos entrevistados mudaram de empresa devido a políticas e práticas de dados insatisfatórias.

A Apple respondeu a essa preocupação incorporando o recurso de Transparência de Rastreamento de Aplicativos no iOS 14.5, que foi lançado em 2021. Esse recurso permite que os usuários desativem o rastreamento de dados, causando uma diminuição significativa na eficácia dos anúncios de marcas de e-Commerce que dependem da publicidade no Facebook.

Mais importante, o Google Chrome irá encerrar seu suporte para cookies de terceiros em 2023.

Para sobreviver a futuras alterações na política de dados, recomendamos que você passe a coletar zero dados de terceiros. Ao invés disso, foque em coletar diretamente dos clientes e de forma consentida apenas os dados mais relevantes.

Existem muitas maneiras de trabalhar sem coletar dados de terceiros. Alguns exemplos incluem questionários, enquetes e registros. No entanto, evite pedir muitas informações de uma só vez. Isso pode sobrecarregar os clientes e impedi-los de compartilhar informações valiosas.

Também é importante acompanhar as últimas atualizações técnicas relacionadas ao desenvolvimento web, principalmente quando elas impactam o desempenho do seu site nos mecanismos de busca. Por exemplo, uma atualização recente do algoritmo do Google considera experiência na página, um dos principais sinais vitais da web, como um fator de classificação.

Conclusão

Seguir as últimas tendências do setor de e-Commerce não significa copiar as estratégias de negócios de outra pessoa ou implementar uma nova tecnologia de e-Commerce sem planejamento suficiente.

Em vez disso, você deve focar em se manter atualizado ou atualizada com os tempos e evoluir as expectativas do cliente. Isso permite que você forneça uma experiência de compra mais rica para seus clientes, mantendo um negócio saudável.

Neste artigo, exploramos 15 das maiores tendências de e-Commerce para você se preparar para o futuro do setor de varejo online. Aqui está uma recapitulação:

  1. Use o CRM para criar uma comunidade em torno de sua marca – O CRM ajuda você a entender as necessidades e o comportamento de seus clientes em potencial para fortalecer relacionamentos e melhorar a fidelidade do cliente.
  2. Implemente o comércio híbrido para melhorar a experiência entre canais – combinar vários canais, incluindo online e offline, para obter uma maior taxa de compra.
  3. Aproveite a inteligência artificial – esta tecnologia pode ajudar as empresas de e-Commerce a fornecer uma experiência de compra mais rica. A personalização e a pesquisa no site são duas áreas principais em que a IA e o aprendizado de máquina desempenham um papel importante.
  4. Imerja totalmente o público com realidade aumentada e virtual – As tecnologias AR e VR ajudam os clientes a examinar os produtos de perto e aumentam sua confiança na compra.
  5. Concentre-se na otimização da taxa de conversão – obtenha mais valor do seu tráfego convertendo os visitantes do site em novos clientes ou assinantes de newsletters.
  6. Priorize o suporte ao cliente – excelente suporte ao cliente influencia positivamente as decisões de compra. Cultiva a lealdade, promove uma imagem de marca positiva e aumenta as vendas de e-Commerce. Usar chatbots para assistentes pessoais também é uma ótima maneira de fornecer suporte.
  7. Venda diretamente pelas redes sociais – a venda de mídia social é conveniente e econômica. O marketing de influenciadores e as compras ao vivo são excelentes tendências de e-Commerce a serem implementadas juntamente dessa estratégia.
  8. Otimize para pesquisa por voz – mais pessoas estão usando a pesquisa por voz para fazer compras online. Otimize sua loja de e-Commerce para esta tecnologia de pesquisa.
  9. Aumente as conversões e a produtividade com automação de marketing – automatize os esforços de marketing de rotina para converter leads em vendas de e-Commerce, simplificando seu fluxo de trabalho.
  10. Ofereça um modelo de assinatura – ofereça pacotes de assinatura para atrair clientes fiéis, aumentando as taxas de retenção e rentabilidade.
  11. Priorize os esforços de sustentabilidade – quase 80% dos clientes consideram a sustentabilidade de um produto ou marca antes de fazer uma compra. Identifique os impactos ambientais do seu negócio e aplique soluções mais sustentáveis.
  12. Mais empresas de e-Commerce estão headless – desacoplar o front-end e o back-end do seu site de e-Commerce oferece mais flexibilidade e capacidade de alcançar clientes em qualquer dispositivo. Use um CMS headless ou uma plataforma de e-Commerce para aderir a essa tendência.
  13. Forneça várias opções de pagamento para simplificar as transações – alguns clientes preferem métodos de pagamento tradicionais como transferências bancárias. Outros preferem carteiras digitais, criptomoedas ou o recurso Compre agora, pague depois (BNPL).
  14. Ofereça opções de entrega rápida e gratuita – os custos de envio e a velocidade afetam as decisões de compra dos clientes.
  15. Prepare-se para futuras políticas de privacidade de dados com dados de terceiros – fique à frente das próximas tendências de privacidade de dados aplicando a estratégia de dados de terceiros.

Algumas dessas tendências podem se aplicar apenas a modelos de negócios específicos. Portanto, é crucial entender os enredos do seu negócio para tomar decisões informadas e garantir o sucesso.

Esperamos que este artigo tenha ajudado você a acompanhar as futuras tendências de e-Commerce e a fazer seu empreendimento online crescer. Sinta-se à vontade para fazer perguntas e compartilhar seus pensamentos na seção de comentários.

Author
O autor

Carlos E.

Carlos Estrella é formado em jornalismo pela UFSC e tem as funções de redator, tradutor e SEO na Hostinger Brasil. Já trabalhou com jornalismo de games e tecnologia e hoje aplica essa experiência escrevendo posts e tutoriais no blog da Hostinger. Suas paixões incluem games, dar rolês com a namorada e amigos e ler artigos aleatórios da Wikipédia de madrugada.