O Que é e-commerce: Todos os Detalhes + Como Começar o Seu

O Que é e-commerce: Todos os Detalhes + Como Começar o Seu

Existem diversas maneiras de se ganhar dinheiro online. Dentre todas elas, você pode estar se perguntando o que é e-commerce e se esta é uma boa maneira de você começar a lucrar na internet.

Pois estamos aqui para ajudar: continue lendo este artigo para saber tudo sobre e-commerce, desde o conceito do termo e seus benefícios até diferentes tipos de lojas virtuais. Nós tamos vamos explicar os passos necessários para criar o seu próprio comércio eletrônico em poucas etapas.

Vamos lá?

Versão em Vídeo

E-commerce é a abreviação de electronic commerce, ou comércio eletrônico. O termo é comumente associado a lojas virtuais e compras pela internet, mas ele pode ser usado para se referir a qualquer atividade online que envolva uma transação comercial, como leilões online e prestação de serviços.

Como Surgiu o e-commerce?

É possível dizer que o e-commerce surgiu como uma evolução natural do comércio tradicional, estimulado pelo avanço da internet e das tecnologias da informação. Embora o conceito de venda de produtos e serviços à distância já exista há séculos, foi apenas com o advento da rede mundial de computadores que o comércio eletrônico tornou-se algo viável e popularizado.

Os primeiros passos do comércio eletrônico foram dados na década de 1970, com a criação da  Electronic Data Interchange (EDI). Essa rede foi desenvolvida para permitir a transferência de dados entre empresas, com o objetivo de agilizar as transações comerciais. O EDI ainda é utilizado em muitas empresas hoje em dia, mas seu uso é limitado a transações corporativas.

Na década de 1990, algumas empresas começaram a surgir e rapidamente tornaram-se líderes do mercado de comércio eletrônico nos anos seguintes. O eBay, por exemplo, surgiu como uma plataforma de leilões online que permitia a venda de produtos usados e raridades. Já a Amazon, fundada em 1994, começou como uma livraria online e rapidamente se expandiu para outros produtos, como eletrônicos, roupas e alimentos.

Para você ter uma ideia do quanto avançamos, este era o layout da Amazon na época do seu lançamento:

primeiro layout do site da amazon, em 1994

Com o passar dos anos, o comércio eletrônico se tornou cada vez mais popular, impulsionado pela evolução da tecnologia e pela mudança nos hábitos de consumo dos consumidores. Hoje em dia, o e-commerce é uma das principais formas de comércio em todo o mundo, com uma variedade enorme de produtos e serviços disponíveis para compra a um clique de distância.

Além dos benefícios para os consumidores, como a comodidade de poder comprar produtos sem sair de casa e a possibilidade de comparar preços de diferentes lojas, o e-commerce também trouxe muitos benefícios para as empresas. 

O Quão Importante é a Indústria de e-commerce?

A indústria de e-commerce não para de crescer. Atualmente, as vendas online representam mais de 14% de todas as vendas de varejo do mundo – e continuarão crescendo no futuro, atingindo 22% em 2023.

Vale notar que algumas das maiores empresas do mundo atualmente só existem por conta do e-commerce. Podemos citar como exemplo a Amazon e a Shopee.

página inicial da Amazon brasil

Com mais de dois bilhões de compradores digitais ao redor do mundo, a expectativa é de que as vendas online vão representar mais de 95% de todas as compras feitas no mundo até 2040.

Em suma, a indústria do e-commerce inevitalmente se tornou uma parte crucial das nossas vidas — e a tendência é de que ela cresça ainda mais nas próximas décadas. Portanto, a sua empresa não pode ficar de fora desse universo.

Quais São as Vantagens do e-commerce?

Você pode estar se perguntando quais são as principais vantagens de estabelecer uma loja virtual para a sua marca ou empresa. Abaixo, vamos listar alguns dos principais benefícios do e-commerce:

Mercado Global

O e-commerce supera as barreiras geográficas. Ele permite que você venda para qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo.

Além disso, ter uma loja virtual também facilita que seus potenciais consumidores descubram e comprem seus produtos, o que permite que os negócios cresçam numa escala que seria impossível numa loja tradicional.

Para os vendedores, essa é uma ótima maneira de aumentar a receita e as vendas. Enquanto isso, os clientes terão mais produtos e serviços disponíveis para escolher e usar, independente de onde moram.

Adicionalmente, o e-commerce não apenas atinge um mercado mais amplo, como também elimina a necessidade de se abrir uma loja física. Você pode começar a criar uma loja de e-commerce no momento em que decidir o que vai vender – e estiver pronto para entrar na internet.

Dependendo dos seus planos, a distância entre a sua ideia e o início da sua loja virtual é uma mera questão de horas!

Aberto 24 Horas por Dia, 7 Dias por Semana

Ter a sua empresa na internet significa que você está sempre online.

Como um vendedor, isso aumenta as oportunidades de venda, e a sua receita não precisa depender dos horários em que a sua loja estaria aberta. Além disso, 87% dos compradores começam as pesquisas por um produto na internet, então criar um site para loja virtual vai expor a sua marca a uma audiência muito maior. 

Para os compradores, as lojas online oferecem gratificação instantânea. Não importa a hora, você pode comprar com apenas alguns cliques, e os produtos ou serviços serão seus.

Essa conveniência é especialmente benéfica se você pretende atingir uma audiência global. Você nunca sabe em qual fuso horário estarão os seus clientes, e operar 24/7 garante que você não vai perder nenhum deles.

Para maximizar a satisfação dos consumidores, você pode usar chatbots. Isso permite oferecer suporte ao cliente 24 horas por dia, 7 dias por semana, mesmo que você não esteja online. Várias empresas, como a Zendesk, oferecem serviços terceirizados de suporte ao cliente, incluindo uma combinação de chatbots e atendentes humanos.

página inicial da zendesk

Baixo Custo

Além de eliminar a necessidade de construir ou alugar um espaço físico, criar uma loja de e-commerce também reduz uma série de custos operacionais.

Dependendo do seu projeto, manter uma loja online pode ser bastante acessível. Na Hostinger, por exemplo, você pode assinar um plano de hospedagem por valores que partem de €1.49, enquanto o registro de um domínio pode sair por menos de R$ 5 — ou até mesmo de graça, dependendo do plano de hospedagem escolhido.

Além disso, você pode economizar o que gastaria com um depósito e armazenamento de produtos ao escolher um negócio de dropshipping. Nesta modalidade, o próprio fornecedor completa os pedidos para você.

Propagandas online também são mais acessíveis, se comparadas com os canais tradicionais. Melhor ainda: existem diversas plataformas de publicidade online disponíveis (como o Google, o Facebook e o Instagram), então você pode ajustar a sua estratégia de marketing para não estourar o orçamento.

Finalmente, é possível reduzir ou eliminar o custo de uma folha de pagamento ao tomar conta do negócio e gerenciá-lo você mesmo. Mesmo se você precisar de uma equipe, não será necessário contratar tantos funcionários graças aos recursos avançados disponíveis em várias plataformas de e-commerce. Mais sobre isso abaixo.

Facilidade de Gestão

Empresas de e-commerce podem automatizar a gestão de inventário com a ajuda de ferramentas e serviços. Esses recursos simplificam e facilitam as operações e o processo de gestão dos produtos.

Por exemplo: você pode adicionar, rastrear e gerenciar o inventário de produtos a partir de uma única página.

Detalhes de envio e de entrega também podem ser resolvidos com ferramentas de cálculo em tempo real. Isso evita que você tenha que criar uma planilha manual de taxas de envio.

Dependendo de onde você criar o seu site de e-commerce, é possível ter acesso a uma variedade de opções de pagamento, e os clientes podem escolher aquela com a qual estão mais familiarizados.

Além disso, uma boa loja virtual oferece uma ótima experiência de usuário quando os clientes estão fazendo suas compras. Um site bem otimizado é rápido e roda bem, com o sistema de gestão de pedidos garantindo uma entrega rápida.

Em resumo: com a plataforma certa, será mais fácil de atingir a eficiência e a produtividade desejadas. Fazer a escolha correta também evita o estresse e ajuda você a focar em fazer a sua empresa crescer.

Como uma dica, você pode conferir o Criador de Sites da Hostinger. Nossa ferramenta é totalmente intuitiva e acessível até mesmo para pessoas que não entendem nada de programação — e, de quebra, ela ainda oferece recursos de e-commerce para que você monte sua loja virtual em poucos passos, com simples gestos de arrastar e soltar.

criador de sites da hostinger exibindo templates para lojas virtuais

Descrições Detalhadas e Segmentação Personalizada de Leads

Com uma loja física, você apenas pode exibir uma quantidade limitada de informações sobre cada produto.

Contudo, esse não é o caso no e-commerce. Você pode adicionar descrições detalhadas sobre seus produtos e serviços, assim como exibir quantas variantes de produto desejar. É possível até mesmo incluir informações completas sobre a sua marca para obter credibilidade e ganhar a confiança dos clientes.

Esses pequenos recursos podem parecer insignificantes, mas eles podem de fato encorajar as pessoas a bater o martelo sobre uma compra. De acordo com um estudo, clientes informados se sentem mais satisfeitos e confiantes sobre as suas decisões ao adquirir produtos e serviços.

Ter um negócio de e-commerce também permite que você use estratégias de segmentação de leads.

Assim que você montar a sua própria loja online, você poderá coletar dados dos clientes e terá a opção de fazer campanhas personalizadas com base nas informações dos consumidores, como histórico de compra, gênero ou idade.

Use essa informação para oferecer conteúdos diferenciados e dar recomendações personalizadas. É mais provável que suas campanhas obtenham sucesso se você direcionar produtos e serviços específicos para determinadas faixas demográficas.

Quatro Tipos de Negócios de e-commerce

Os modelos de negócio de e-commerce são classificados com base nos participantes envolvidos na transação. Os quatro modelos primários são os seguintes:

descrição dos 4 tipos de ecommerce: b2c, b2b, c2c e c2b

1. Business to Consumer (B2C)

O modelo de negócios B2C se refere às empresas que vendem produtos e serviços diretamente para os consumidores finais.

Da perspectiva do cliente, essa é a opção em que você compra qualquer produto a partir do site oficial de uma marca. Como por exemplo, você pode comprar um celular no site da Apple ou encomendar um par de tênis no site da Adidas.

Contudo, o B2C não está limitado à venda de produtos. Este modelo também pode servir para sites baseados em serviços, como a Adobe.

Dentre todos os modelos de negócio, o B2C  é o mais conhecido e compreendido.

2. Business to Business (B2B)

Num modelo de negócio B2B, ambos os participantes são entidades corporativas.

Tipicamente, essa transação ocorre quando uma empresa precisa obter matérias-primas para seus produtos finais.

Vamos tomar a produção de automóveis como um exemplo. Neste caso, uma montadora faz negócios com fabricante de peças. Essas transações pode incluir comprar pneus, mangueiras de borracha e limpadores de para-brisa, por exemplo.

Por causa disso, negócios B2B geralmente têm vendas de alto volume e também trabalham com compras recorrentes.

Alguns exemplos de Business to Business incluem empresas de telemarketing ou transportadoras de grande volume, como a Jadlog.

página inicial jadlog

3. Consumer to Business (C2B)

O modelo C2B permite que indivíduos vendam bens e serviços para empresas. Essa abordagem dá aos clientes o poder de determinar o seu preço.

Sites de trabalho freelancer e programas de afiliados são categorizados como C2B. Sendo assim, empresas como Upwork, 99Freelas e Fiverr pertencem a esse modelo.

página inicial do fiverr

4. Consumer to Consumer (C2C)

O modelo de negócio C2C conecta consumidores. Ele permite que uma pessoa venda para outra através da internet.

Esse processo geralmente é feito com a ajuda de marketplaces online como intermediários. Neste caso, sites C2C como OLX e Enjoei podem ajudar os clientes a vender para outros consumidores – basta criar uma conta.

página inicial da olx

Estudos de Caso: 3 Histórias de e-commerces de Sucesso e Suas Principais Lições

É um número impressionante, porém real: 90% de todas as empresas de e-commerce fecham nos primeiros três meses.

Apesar desse ser um número muito alto, existem os outros 10% – que continuam a crescer e atingem o sucesso.

Para ajudar você a seguir os passos certos, aqui estão três estudos de caso de e-commerce com os quais você pode aprender:

Zalora: Como Gerenciar uma Empresa que Cresce Rapidamente ao Usar Hospedagem Cloud

página inicial da the iconic, e-commerce de moda australiana

A Zalora é uma varejista online do ramo de moda criada no Sudeste Asiático. Entre diversas marcas, a empresa opera a The Iconic, maior e-commerce de moda da Austrália e Nova Zelândia.

Este negócio de e-commerce B2C oferece uma ampla gama de categorias de produto, que vão desde acessórios para mulheres até produtos de higiene para homens e moda infantil.

A empresa oferece entrega expressa ilimitada, devoluções gratuitas em até 30 dias e entrega grátis para compras acima de US$ 50. Como resultado, esses diferenciais atraíram um mar de clientes: nos primeiros três a quatro anos de existência, a empresa dobrou de tamanho anualmente.

Como uma solução para acomodar esse pico de consumidores, a Zalora decidiu hospedar seu site de e-commerce num plano de hospedagem cloud. Ficar num servidor físico não era uma opção, já que isso atrapalharia o objetivo de cumprir as demandas de agilidade dos clientes.

Se você está planejando começar pequeno e crescer para se tornar tão grande quanto a Zalora, nós estamos aqui para lhe ajudar com a Hospedagem Cloud da Hostinger.

hospedagem cloud hostinger

Alya Skin: Uma Startup de Sucesso com Marketing de Influenciadores

página inicial da alya skin

A Alya Skin é uma marca australiana de skincare que vende produtos veganos, que não fazem testes em animais. O fundador da empresa, Manny Barbas, viu uma oportunidade de vender máscaras de argila. Ele então entrou em contato com o seu sócio, James Hachem, para começar a empresa.

Agora, a grande pergunta é: como eles promoveram os seus produtos? A máscara de fato é única, mas eles precisavam da estratégia certa para ter sucesso.

A resposta: usando marketing de influenciadores.

Eles começaram enviando 1.000 produtos para influenciadores criarem publicações e darem feedback sobre eles. Contudo, é importante notar que eles foram bastante seletivos com os influenciadores que escolheram: apenas aqueles que se encaixavam na idade do seu público-alvo foram escolhidos.

Barbas alega que o crescimento da empresa disparou porque eles enviaram produtos para micro-influenciadores em toda a Austrália. Ele também acredita que o público tende a confiar mais em micro-influenciadores mais do que naqueles com grandes quantidades de seguidores.

A marca continua até hoje a enviar 400 a 500 produtos por semana. Contudo, eles não forçam os influenciadores a postarem ou falarem sobre o que receberam. Ao invés disso, eles simplesmente dizem: “se você amar nossos produtos, fale sobre eles”.

Diamond Candles: Aumente a Receita ao Priorizar Emails Personalizados

página inicial da diamond candles

Diamond Candles é um negócio de e-commerce B2C que vende velas perfumadas. Além de usar produtos sustentáveis, o ponto de venda único da Diamond Candles é a sua campanha de revelação de anéis.

Funciona assim: cada Ring Candle vem com um anel e um cupom para ganhar um segundo anel no valor de até US$ 5.000. A partir daí, você pode escolher o estilo e o tamanho que melhor funciona para você.

A empolgação da revelação do anel faz com que a marca se torne uma experiência que vale ser compartilhada para os clientes.

Contudo, o que realmente fez com que a empresa crescesse foi a sua campanha de email marketing. Eles cresceram rapidamente, com uma média de 2.000 novos endereços de email por mês.

Vendo isso, a empresa decidiu priorizar o email marketing. Eles usaram dados colhidos no seu site e passaram a trabalhar com emails personalizados, direcionados aos interesses de cada faixa do público.

A equipe acredita que o email marketing é uma ótima maneira de obter novos assinantes e estimular o interesse de visitantes já existentes.

Essa estratégia resultou num aumento de 160% nas receitas da Diamond Candles num período de oito meses, com uma redução de 75% no tempo médio de compra.

Se você quer ir por esse caminho, você pode tentar serviços de email marketing como MailChimp, Constant Contact ou ConvertKit.

Como Criar um e-commerce: 3 Passos para Seguir

Agora você já sabe tudo sobre e-commerce e conhece alguns casos de sucesso. Quer começar o seu? Pois não deixe de seguir os passos abaixo.

Passo 1: Escolha uma Ideia de Negócio

O primeiro passo para começar um negócio de e-commerce é decidir quais bens e serviços você vai vender. Enquanto faz o seu brainstorming, é essencial escolher uma ideia que seja lucrativa e escalonável para o futuro.

Aqui estão alguns métodos que você pode usar para encontrar a sua ideia de negócio:

Resolva os Problemas dos Clientes

Ao resolver os problemas dos clientes, o seu produto ou serviço passa a ser uma resposta para as necessidades das pessoas. Isso pode tomar diversas formas, desde substituir um travesseiro irritante até oferecer um aparelho auditivo a um preço acessível.

Para fazer isso, comece a observar os principais incômodos que as pessoas enfrentam diariamente. Pergunte para amigos e familiares ou conduza uma pesquisa online, por exemplo

Encontre um Nicho de Produtos para Hobby

Quando os clientes são apaixonados por um hobby em particular, a disposição deles para gastar dinheiro é maior, já que existe um vínculo emocional com o produto. Por conta disso, encontrar um nicho de produtos para hobby é sempre um caminho interessante.

Um exemplo disso é a Wilton, uma loja de produtos de confeitaria que atende a todos os níveis de habilidade. Outros exemplos são a Wayfair, com objetos de decoração, e a Bluemoon, para entusiastas de scrapbooks. Para se inspirar, você pode dar uma olhada numa lista com os 100 tipos de hobbies mais populares do mundo.

página inicial da wilton

Aposte nas Tendências

A forma mais garantida de firmar sua marca como destaque de um segmento é reconhecer uma tendência quando ela está começando.

Mantenha-se atualizado sobre os assuntos e gostos do momento. Comece de maneira simples: analise os trending topics no Twitter e os assuntos em alta no Facebook.

Para ter informações mais aprofundadas, você pode usar também ferramentas de escuta social como o Google Trends, o Trend Hunter e muito mais.

Capitalize sua Expertise

Ter grandes habilidades em uma área específica é uma grande vantagem. Use isso para fazer dinheiro online e começar a vender na sua loja online.

Por exemplo, venda o seu trabalho como designer gráfico, escritor, fotógrafo e afins. Você também pode lucrar com uma receita passiva ao vender cursos online através da Udemy ou do Skillshare.

Um ótimo exemplo disso é a Aesphi, que foi fundada pelo Del Mauricio. A loja oferece diversos serviços digitais, de design de logos até edição de vídeos.

página inicial da aesphi

Passo 2: Decida como Obter seus Produtos

A não ser que você esteja vendendo produtos digitais ou serviços, é necessário encontrar uma maneira de obter ou produzir os seus produtos.

Esses são os métodos mais comuns que você pode testar:

Terceirize para as Fabricantes

Ao contrário de negócios pequenos e médios, fabricantes podem produzir bens em grande escala. Elas são bem mais eficientes e oferecem um custo menor por unidade.

Se você está começando um site de e-commerce B2C, terceirizar os seus produtos para fabricantes é algo altamente recomendável. Além de reduzir custos de produção, as fabricantes ajudam você a atender as demandas dos seus clientes.

Tudo o que você precisa fazer é entrar em contato com a fabricante adequada e explicar o produto que você tem em mente. Por exemplo, é possível usar a Indie Source para fabricar roupas ou a Ever Shiny para a produção de joias.

site oficial da indie source

Contudo, o lado negativo é você precisará fazer um pedido de grande volume. Esteja preparado para gastar bastante dinheiro no começo da sua jornada de negócios.

Essa também pode ser uma escolha que ocupará bastante do seu tempo, já que as fabricantes vão passar por diversos processos – protótipos, amostragem, refinamento e produção — até chegar ao produto desejado.

Revenda por Atacado

Escolher este método significa que você vai comprar bens de um fornecedor por atacado, com o objetivo de revendê-los por um preço maior. Por sorte, fornecedores de atacado costumam oferecer descontos para revendedores.

Obter os bens dos fornecedores é uma opção perfeita para aqueles que querem vender vários produtos de diferentes marcas. Desde que você saiba onde procurar, o seu negócio começará com tudo.

Se você quer se tornar um revendedor, procure fornecedores em diretórios como Sourcify, AliExpress e Oberlo.

o que é e-commerce: site oficial da oberlo

Contudo, tenha em mente que a margem de lucro não será tão grande quanto se você fabricar os seus produtos.

Adicionalmente, você também precisa ficar bem atento aos detalhes. Mesmo se múltiplas fontes oferecerem o mesmo produto, a qualidade pode variar bastante entre elas.

Dropshipping

Se você não quer lidar com inventário, uma boa ideia é considerar o dropshipping.

Basicamente, este método permite que você seja o intermediário entre fornecedores e clientes. Essa é uma ótima opção se você quer focar seu tempo, energia e investimento no marketing.

Existem várias plataformas para você dar uma olhada se estiver atrás de fornecedores para dropshipping. Alguns dos mais conhecidos são AliDropship, Salehoo, Alibaba, entre outros.

Contudo, você não terá controle da qualidade dos produtos – do mesmo modo que acontece quando você é um revendedor. Então procure com cuidado quando estiver atrás de um parceiro de dropshipping.

Passo 3. Comece a Construir o seu Negócio

Este passo vai tratar de vários aspectos da sua companhia, como branding, proposta única de valor (USP) e estrutura de negócio.

Crie um Marca

A marca é um dos bens mais preciosos de uma empresa, segundo um estudo da Nielsen.

Ela incorpora toda a sua imagem em uma ou duas palavras. Ademais, uma marca dá aos seus clientes pistas sobre a personalidade da sua empresa, então eles sabem o que esperar do seu negócio.

Para deixar uma forte impressão com a sua marca, faça experimentos com o ritmo dos termos utilizados e tente deixar a ênfase na primeira sílaba da palavra.

O nome da sua empresa deve ser simples e memorável. Não deixe de conferir o significado dele em outros idiomas para evitar mal-entendidos.

E não se esqueça de checar o status legal do seu nome. Garanta que ele já não foi registrado por outras empresas.

Decida a Estrutura da Empresa

Uma estrutura de negócio lida com os aspectos legais da sua empresa, como impostos e proteção de ativos em caso de crises – incluindo processos e falência.

Existem diversas estruturas de negócios dentre as quais você pode escolher. Contudo, as mais comuns para lojas online são Sociedade Empresarial Limitada (LTDA), Microempreendedor Individual (MEI) ou sociedade em nome coletivo.

O LTDA é uma estrutura de negócios mais formal. Ela oferece proteção porque a empresa é legalmente separada do seu proprietário.

Já o MEI, por outro lado, é uma estrutura de negócio mais informal. Ela não oferece o mesmo tipo de proteção, já que o negócio é de propriedade de um indivíduo. Portanto, os impostos são de responsabilidade daquela pessoa.

De maneira similar, a sociedade em nome coletivo também não é uma estrutura exatamente formalizada. A diferença para o MEI é que a empresa é de propriedade de mais de uma pessoa. Com essa estrutura de negócio, todas as partes são responsáveis por qualquer ação tomada para a empresa.

Se você está tocando um pequeno negócio com pouco risco e lucro baixo, vá com o MEI ou a sociedade.

Agora, se você tem uma grande base de clientes e quer se beneficiar de várias opções de taxação, proteja seu negócio através da LTDA.

Compre um Domínio

Um domínio é o seu endereço na internet. É onde os visitantes vão quando eles querem visitar a sua loja.

Ele é tão importante quanto a sua marca, e portanto precisa ser memorável e fácil de pronunciar.

Assim sendo, exemplos de nomes de domínio claros e fáceis de pronunciar incluem americanas.com.br, ou ponto.com.br.

Encontre sua Proposta Única de Valor

Uma Proposta Única de Valor (USP) é o fator que diferencia você dos seus concorrentes. O mais importante é que ela articula como o seu negócio pode oferecer valor e benefícios únicos aos seus clientes.

A sua USP será refletida na sua marca e nas suas estratégias de marketing.

Por exemplo, a loja Fenty Beauty, da Rihanna, promete ser uma marca inclusiva que atende a todas as mulheres. Essa USP é refletida no seu slogan, “Beauty for All” (“Beleza para Todas”).

Assim sendo, para encontrar a sua USP, liste os benefícios e os pontos positivos do seu negócio. Elimine aqueles que são genéricos demais e comece um brainstorm com aqueles que podem atender um mercado que esteja mal servido no momento.

Escolha uma Plataforma para Começar a Vender Online

Assim que você tiver terminado o planejamento e toda a papelada, é hora de começar a escolher a plataforma certa para hospedar o seu negócio de e-commerce.

Como Criar uma Loja Online com Plataformas de e-commerce

Plataformas de e-commerce são ferramentas online que qualquer um pode usar para construir e hospedar a sua loja virtual.

Essas plataformas possuem os recursos essenciais de criação de sites para você levar sua empresa ao sucesso. Por exemplo, plataformas de e-commerce básicas vêm com rastreamento de pedidos, geradores de promoções e códigos de desconto, e função de checkout fácil de usar.

Tenha em mente que existem várias opções no mercado. Vamos dar uma olhada nas melhores delas.

Se você está procurando por uma solução hospedada, aqui estão as plataformas que você pode testar:

  • Criador de Sites da Hostinger — indicado para aqueles que buscam uma solução simples e fácil de usar, mas ainda estão buscando uma plataforma que cubra todos os pontos essenciais do e-commerce.
  • Shopify — de longe a plataforma mais popular de e-commerce no mercado, graças ao seu sistema intuitivo e recurso de vendas em múltiplos canais.
  • BigCommerce — esta plataforma oferece taxas de cartão de crédito via PayPal mais baixas para seus usuários, dependendo do plano que estão usando.

Se você prefere optar por uma solução auto-hospedada, essas ferramentas podem ser ótimas para você:

  • WooCommerce — um plugin para WordPress que permite transformar seu site numa loja virtual. Melhor ainda se você usar um serviço dedicado de hospedagem para WooCommerce.
  • Magento — a melhor plataforma de e-commerce se você quer fazer a sua empresa crescer e escalonar seu negócio. Na Hostinger, o Magento é compatível com nossos planos de hospedagem VPS.
  • PrestaShop — uma plataforma de código aberto que é construída especificamente para criar lojas online.

O Que Procurar numa Plataforma de e-commerce:

  • Acessibilidade para Iniciantes. Procure por uma plataforma que não apenas seja fácil de configurar, mas que também ofereça facilidade de projetar e de gerenciar seus produtos.
  • Segurança. Para um processo de pagamento seguro, escolha uma plataforma que suporte certificado SSL e sistemas confiáveis.
  • Adaptação para SEO e mobile. A otimização para mecanismos de busca é importantíssima para aumentar seu tráfego orgânico, e a grande maioria dos usuários espera uma experiência de compras sem problemas em dispositivos móveis.
  • Suporte técnico. Não importa se você é novo na cena ou não, é sempre útil ter uma equipe dedicada de suporte que possa responder as suas perguntas.
  • Múltiplos sistemas de pagamento. Certifique-se de que os seus clientes poderão pagar facilmente pelo seu produto ou serviço. Alguns dos sistemas de pagamento mais populares incluem PayPal, MercadoPago e PagSeguro.

Venda Online em Marketplaces de e-commerce

Se você está começando um pequeno negócio de vendas online e se ainda não sente a necessidade de ter um site próprio, considere as várias opções de marketplaces disponíveis na internet. Elas são uma ótima escolha para divulgar seus produtos a um número enorme de usuários rapidamente.

Você pode começar a vender imediatamente em marketplaces como a da Amazon e da Americanas. Tudo o que você precisa é cadastrar uma conta e começar a adicionar produtos.

Se você quer atingir um grupo específico, pense em marketplaces de nicho, como a Netshoes (para produtos esportivos), a Amaro (para artigos de moda, beleza e casa) ou a MadeiraMadeira (para móveis).

Enquanto isso, para marketplaces focados em produtos usados e baratos, temos sites como Shopee e MercadoLivre.

Finalmente, se você pretende vender os seus serviços, considere marketplaces de freelancers como Fiverr e Upwork.

Conclusão

Agora que você sabe o que é e-commerce e entendeu os primeiros passos de como criar uma loja virtual, chegou a hora de escolher um nicho, encontrar fornecedores e construir seu negócio.

Com essas informações, muito esforço e uma pitada de sorte, você pode criar a sua empresa online de maneira tranquila e obter sucesso a longo prazo.

Para apoiar o seu negócio de e-commerce, garanta que você vai escolher uma plataforma que ofereça todos os recursos que são essenciais para tocar uma loja online de sucesso.

Boa sorte!

O Que é eCommerce  –  Perguntas Frequentes

O que Preciso Fazer para Abrir um e-Commerce Rapidamente?

A maioria das plataformas de eCommerce só exige que você faça um cadastro, personalize a página inicial da loja e a lista de produtos que você quer vender. Depois de colocar a loja virtual no ar, a plataforma geralmente cuida das transações para você.

Que Habilidades são Necessárias para Começar um eCommerce?

Saber como analisar dados de clientes vai lhe permitir conhecer melhor seu público, levando a melhores decisões de negócios. Habilidades de SEO, escrita e fotografia de produtos são importantes para melhorar suas campanhas de marketing. Apesar de não ser algo obrigatório, ter habilidades técnicas básicas também pode ajudar com a gestão da loja.

É Possível Ganhar Dinheiro Online Sem um Site Próprio?

Sim, você pode usar um perfil numa rede social para promover seus produtos. Os clientes podem pagar por eles através de transferências bancárias. Contudo, esse método não é nada prático e não oferece a segurança necessária para suas transações financeiras. Portanto, aconselhamos que você procure outros modos de ganhar dinheiro na internet, como marketplaces.

Author
O autor

Carlos E.

Carlos Estrella é formado em jornalismo pela UFSC e tem as funções de redator, tradutor e SEO na Hostinger Brasil. Já trabalhou com jornalismo de games e tecnologia e hoje aplica essa experiência escrevendo posts e tutoriais no blog da Hostinger. Suas paixões incluem games, dar rolês com a namorada e amigos e ler artigos aleatórios da Wikipédia de madrugada.