SEO para Blog: Como Melhorar Seu Ranqueamento nos Mecanismos de Busca

SEO para Blog: Como Melhorar Seu Ranqueamento nos Mecanismos de Busca

Aplicar técnicas de SEO (otimização para mecanismos de busca) no seu blog melhora o ranqueamento das suas postagens em SERPs (páginas de resultados de mecanismos de busca). Quando um blog otimiza seu conteúdo, ele atrairá mais leitores. Mecanismos de busca costumam priorizar blogs que atraem mais tráfego orgânico do que seus concorrentes.

Este guia de SEO focará na otimização de conteúdos para blogs, o que costuma ser um fator essencial para o tráfego deste tipo de site por conta da frequência de novos conteúdos publicados. Portanto, para ter um melhor ranqueamento nas SERPs, é importante escrever muitos artigos para o seu blog e otimizá-los corretamente.

Nós compartilharemos as melhores dicas, práticas e ferramentas de SEO para otimizar os posts do seu blog. Ao final deste artigo, você saberá exatamente como melhorar o seu ranqueamento nos sites de busca.

SEO para blog é a prática de escrever e otimizar o conteúdo do seu blog — além de melhorar a arquitetura do site, a velocidade das páginas e os links. Otimizar esses elementos pode acelerar o crescimento do seu site e melhorar a experiência do usuário.

Melhorar o SEO do seu conteúdo também pode potencializar o seu blog como uma fonte confiável e de autoridade, facilitando a obtenção de novos leitores.

Como Melhorar o SEO do seu Blog: 18 Dicas Testadas e Aprovadas

Se você está criando um blog, investir em SEO pode ser uma ótima maneira de obter tráfego. O SEO também pode ser uma forma efetiva de ganhar dinheiro com o seu blog. Certifique-se que você escolherá a plataforma de blog com melhor SEO (como o WordPress) para otimizar seu conteúdo.

Quando um post de blog é otimizado para SEO, os mecanismos de busca podem interpretar seu conteúdo de forma mais efetiva. A partir disso, os buscadores fazem o ranqueamento dos artigos de acordo com a relevância deles em relação aos termos pesquisados pelo usuário.

Para te ajudar a alcançar um melhor ranqueamento nos resultados das buscas, nós listamos 18 dicas de SEO para blog — todas com o objetivo de melhorar a estratégia de SEO do seu blog.

1. Faça a Pesquisa de Palavras-Chave

Primeiramente, é importante entender seu público-alvo fazendo a pesquisa das palavras-chave apropriadas. Este passo é essencial para encontrar a palavra ou frase que será destacada quando você estiver escrevendo o seu artigo otimizado para SEO.

Existem dois tipos de palavras-chave que podem ajudar a otimizar um blog: as de alto volume e as de cauda longa (long-tail). Escolher o tipo certo depende do público-alvo que você quer atingir.

Uma palavra-chave de alto volume é aquela que é muito buscada, com uma média de mais de 100 mil pesquisas mensais. Tais palavras-chave podem trazer muito tráfego para uma página, mas são mais genéricas.

Uma palavra-chave de cauda longa, por outro lado, tem como objetivo atrair usuários com buscas mais específicas. Por conta disso, esse tipo de palavra-chave não rende tanto tráfego, mas tem uma taxa de rejeição menor e enfrenta menos concorrência.

Ao pesquisar palavras-chave para os artigos do seu blog, tenha em mente os seguintes aspectos:

  • Volumes de busca – o número de buscas feitas com as palavras-chave relevantes. O Planejador de Palavras-Chave do Google é uma das ferramentas que podem te ajudar a analisar essa métrica.
  • Tendências – diz respeito à tendência com o tempo, interesse por região e assuntos/pesquisas relacionados a uma palavra-chave. Uma das formas mais simples de buscar tendências é usando o Google Trends.
  • Dificuldade – mede o quão difícil é atingir um bom ranqueamento com uma palavra-chave específica. Nós recomendamos usar a ferramenta de dificuldade de palavra-chave do Ahrefs.

É bom notar que cada post no seu blog deve ter uma única palavra-chave de foco. Conteúdos que tentam atingir múltiplas palavras-chave, misturando assuntos diferentes, apenas confundirão os mecanismos de busca. Para encontrar a palavra-chave de foco correta para o seu artigo, pense em qual termo de pesquisa é mais relevante em relação ao seu conteúdo.

Além disso, o chamado keyword stuffing — isto é, incluir as palavras-chave muitas vezes no seu artigo — também não é bom para o SEO. Postagens com muitas palavras-chave podem gerar uma leitura truncada e resultar numa experiência ruim para o usuário, prejudicando o ranqueamento do site.

Dica do Especialista

Como escolher as palavras-chave que gerarão tráfego para o seu blog:
1. Determine o assunto e a missão do seu site. Pense em que nicho o seu blog está e quem você quer atingir com o seu conteúdo.
2. Faça sessões de brainstorm e produza uma lista de palavras-chave primárias (seed keywords) dentro do seu nicho.
3. Use ferramentas gratuitas de busca de palavras-chave para encontrar palavras-chave relacionadas. Analise métricas como volume de buscas, dificuldade e sazonalidade. Tire da lista as palavras-chave sem volume de buscas.

Editor

Domantas G.

Diretor de Conteúdo e SEO da Hostinger

2. Divida o Seu Conteúdo em Grupos de Assuntos (Topic Clusters)

Após a pesquisa das palavras-chave, é importante organizar o conteúdo do seu blog dividindo-o em grupos de assuntos, os chamados topic clusters. Esses grupos representam subtópicos que reúnem conteúdos específicos para enriquecer o assunto geral do seu blog.

Os grupos de assuntos podem ajudar a melhorar o ranqueamento de um site e suas taxas de tráfego orgânico. Com os grupos, os usuários podem navegar mais facilmente por um site e os mecanismos de busca podem indexá-lo mais rapidamente. Além disso, você evita a criação de conteúdo duplicado, pois a arquitetura e a hierarquia do seu blog estão organizadas de maneira simplificada.

Após dividir o seu conteúdo, conecte os grupos de assuntos a uma página-pilar (pillar page) usando hyperlinks. Esses links ajudam os mecanismos de busca a encontrar todas as páginas do seu site mais rapidamente, melhorando o ranqueamento das suas páginas nas SERPs.

Por exemplo, a página de Tutoriais da Hostinger tem o WordPress como uma das suas páginas-pilar. Todo conteúdo relacionado ao WordPress está nesta página, facilitando a navegação dos usuários que querem buscar textos sobre este assunto.

página de tutoriais da Hostinger com destaque para a categoria wordpress

3. Entenda a Intenção da Busca (Search Intent)

Crie conteúdos que atendam à intenção da busca do seu público-alvo — isto é, o objetivo que a pessoa tem ao digitar um determinado termo no seu mecanismo de buscas preferido. Conteúdos mais adequados às intenções do seu público terão melhor ranqueamento nas SERPs.

Existem três tipos de intenções:

  • Informacional – a busca por alguma informação dentro de um assunto. Por exemplo, como cozinhar espaguete ou dados sobre uma pessoa pública. A maioria dos artigos de blogs traz respostas para as intenções informacionais.
  • Direta ou de navegação – é a pesquisa por uma página específica por meio de um mecanismo de busca. Por exemplo: em vez de digitar a URL de um canal do YouTube na barra de endereços do navegador, o usuário busca o nome daquele canal no mecanismo de buscas.
  • Transacional – é a busca por um lugar para adquirir um produto ou serviço específico. Neste caso, o usuário já sabe exatamente o que quer comprar, mas está procurando o site ou local específico para adquiri-lo.

A intenção de busca ajuda o Google a organizar e dividir as informações disponíveis na web de uma forma que seja mais acessível para os usuários. A partir dessa organização, o Google combina as páginas com os termos de busca mais relevantes.

A relevância é a principal fundação para o sucesso do SEO. Para garantir que o seu conteúdo seja relevante à intenção de busca do seu público-alvo, considere os seguintes aspectos:

  • Inclua informações úteis – dê dicas, forneça ferramentas e compartilhe exemplos.
  • Remova frases desnecessárias – elas não ajudam a satisfazer a intenção do usuário.
  • Visite as páginas com melhor ranqueamento – analise o que está faltando no seu conteúdo e o que você pode oferecer de diferencial.

Importante!Note que os ranqueamentos dos mecanismos de busca não são estáticos. Eles podem mudar com o tempo

4. Otimize seus Títulos e Title Tags

O título do post do seu blog será a primeira coisa que o seu visitante verá. Portanto, ele precisa ser instigante para o seu público-alvo e relevante em relação ao conteúdo do artigo. Além disso, a title tag também deve ser otimizada.

A Title tag é um elemento HTML que oferece uma descrição rápida e precisa de uma postagem. Ela fica em destaque nas SERPs, pois é a manchete que pode atrair a atenção do seu público potencial. Otimizar suas title tags incentiva usuários a clicarem na sua página.

Uma boa title tag pode ser diferente do título do seu artigo, especialmente quando o título é muito longo. Se a title tag tem mais de 60 caracteres, ela será cortada pelo Google. Portanto, é melhor ajustar e otimizar todas as title tags do seu blog para melhorar o seu ranqueamento.

Por exemplo: a página de Tutoriais da Hostinger exibe no Google a title tag inteira do artigo Como Registrar um Domínio – Guia Completo. Desta forma, os usuários sabem qual o assunto daquele texto imediatamente.

resultado de pesquisa no google com destaque para título exibido

Se uma title tag é mais longa do que 60 caracteres, dê ênfase à palavra-chave de foco logo no início. Assim, os usuários e mecanismos de busca entenderão o conteúdo principal do artigo.

Nós recomendamos adicionar o nome da sua marca ao final da title tag para ajudar no branding. Isso serve para que os usuários se familiarizem com o nome da sua marca mais rapidamente, já que ela está presente com mais frequência nas SERPs. Para separar o título do nome da sua marca, use um hífen ou uma barra vertical.

5. Use Cabeçalhos Para Dividir o Seu Texto

Usar cabeçalhos como divisões entre as partes do seu artigo facilita que usuários e mecanismos de busca entendam o seu conteúdo. Além disso, os cabeçalhos ajudam a estruturar a página para uma melhor legibilidade e destaque das palavras-chave.

Os cabeçalhos ajudam a criar um panorama do artigo usando tags que vão do H1 ao H6. A tag H1 é a maior de todas na hierarquia, enquanto a H6 é a menor.

Todo artigo deve ter uma tag H1, que geralmente é o título da postagem. É importante notar que a relação H1-H6 forma uma hierarquia direta no código HTML, então pular um nível nas tags de cabeçalho quebrará a estrutura de subtítulos do seu artigo. Por exemplo, ir do H2 diretamente para o H4 (sem usar o H3) pode prejudicar o SEO da página em questão.

Portanto, é sempre uma boa ideia usar algumas tags H2 e H3 para os subtítulos do seu artigo. Essas tags dividem o conteúdo do seu texto em porções menores e permitem que os mecanismos de busca rastreiem o seu conteúdo mais facilmente, melhorando o seu ranqueamento. Nós recomendamos usar tags H2 e H3 para dividir as principais seções de um texto.

Por outro lado, nós não recomendamos usar tags H4, H5 e H6, a não ser para artigos muito longos e técnicos. Cabeçalhos demais podem deixar um texto confuso e atravancado.

Por exemplo: nos Tutoriais da Hostinger, nós dividimos as seções de um artigo usando tags H2 e H3. Você pode conferir como exemplo o artigo Como Criar Um Site no WordPress: as tags H2 abrem as seções do texto, enquanto as tags H3 destacam o passo-a-passo de cada seção. Adicionar as tags de cabeçalho torna o conteúdo mais fácil de ser lido, especialmente em comparação com um texto corrido que dispõe seus passos em uma série desconexa de parágrafos.

trecho de tutorial da hostinger com destaque para as divisões em subtítulos

Para otimizar as tags de cabeçalho, evite termos caça-cliques que não se relacionam ao seu conteúdo. Esses termos confundem os mecanismos de busca e prejudicam o ranqueamento do seu site.

6. Use Sua Palavra-Chave de Foco em Áreas Importantes

Para evitar keyword stuffing e melhorar o seu ranqueamento, certifique-se de incluir sua palavra-chave de foco em partes específicas do artigo e da página. Algumas das áreas mais importantes para incluir sua palavra-chave principal são:

  • Title tag. Os 60 primeiros caracteres da title tag devem conter a palavra-chave de foco para melhorar a relevância do seu conteúdo nos mecanismos de busca.
  • Tags de cabeçalho. Inclua a palavra-chave principal e as secundárias nos seus cabeçalhos para manter o seu conteúdo relacionado ao assunto principal da postagem.
  • Introdução. Inclua a palavra-chave de foco no primeiro parágrafo do seu texto, de preferência já na primeira ou segunda frase. Com isso, você poderá explicar do que se trata aquele conteúdo logo de início.
  • URL. Um dos primeiros elementos rastreados pelos mecanismos de busca numa página da web é a sua URL.
  • Meta-descrição. Adicione suas palavras-chave principais na pequena descrição que resume o seu conteúdo. A meta-descrição é exibida com destaque nas SERPs — adicionar uma palavra-chave por lá, portanto, melhora as chances do seu blog ter um melhor ranqueamento.

Sempre tenha seu público-alvo em mente e certifique-se de manter sua escrita natural ao incorporar as palavras-chave no seu texto.

7. Escreva Artigos Detalhados Para o Seu Blog

Criar um conteúdo de blog que responde às dúvidas e deixa uma boa impressão no leitor é parte essencial do SEO.

Muitos fatores contribuem para tornar a sua postagem bem-sucedida:

  • Detalhes. Crie artigos aprofundados, com informações detalhadas e específicas para melhor responder as dúvidas dos usuários. Isso certamente melhorará o ranqueamento da página. Uma das formas de fazer isso é argumentar e explicar a razão de cada parte do seu texto.
  • Pesquisa. Dê uma olhada no conteúdo dos seus principais concorrentes para entender como você pode dar algum diferencial ao seu artigo e torná-lo ainda melhor.
  • Relevância. Crie conteúdos relevantes para o seu site, pois isso constrói a sua autoridade na área e incentiva os leitores a explorarem mais textos do seu blog.
  • Gancho. Comece explicando por que seu artigo importa. Isso mantém os leitores interessados e reduz a taxa de rejeição.

Um conteúdo de qualidade para blogs é prático, fácil de ler e visualmente atrativo. Blogs com conteúdos detalhados atraem mais tráfego, uma vez que eles sempre satisfazem as dúvidas dos leitores.

Dica do Especialista

Já existem mais de um bilhão de blogs na internet, então o Google tem suas escolhas preferidas. Quando o assunto é conteúdo para qualquer palavra-chave, você precisa focar na qualidade. Se você escrever 100 posts medianos, não adiantará em muita coisa.

Editor

Neil P.

Especialista em Marketing Digital e Empreendedor

Links internos ajudam usuários e mecanismos de busca a navegar por um website para encontrar conteúdos e informações relevantes. O Google segue esses links para encontrar mais conteúdo dentro de um único domínio — e ranquear essas páginas em suas SERPs.

Ao incluir links para outros conteúdos relevantes no seu domínio, os usuários também podem obter mais informações sobre um determinado assunto. Na maioria das vezes, o autor de um texto não pode incluir todas as informações sobre um assunto em um único post, então os links internos são excelentes para fornecer material adicional relevante.

Existem dois tipos de links internos:

  • De navegação – ajudam os usuários a navegar pelas páginas principais do site e costumam ficar em um menu superior ou no rodapé.
  • Contextuais – links para conteúdo (geralmente outros artigos do blog) que são relevantes para o assunto em questão. Isso é feito para que os leitores obtenham informações adicionais e para construir relações entre as páginas de um site.

Tanto os links internos de navegação quanto os contextuais ajudam a construir uma hierarquia de informação e estabelecer a sua autoridade. Além disso, os links contextuais sinalizam ao Google que sua página tem um artigo de alto valor. Para fazer essa sinalização de forma otimizada, use textos de âncora (anchor texts) nos seus links internos.

Textos de âncora são as frases que você usa para adicionar um link num texto. Por exemplo, no artigo abaixo, o texto âncora “portfólio” leva os usuários a um outro artigo, intitulado Como Fazer Um Portfólio Digital.

trecho de tutorial da hostinger com destaque para a palavra "portfólio"

Dica do Especialista

Ao trabalhar em um novo site ou otimizar um já existente, eu sempre começo com os links internos e a estrutura geral do site.
Eu costumo usar o Google Planilhas para escrever todas as categorias e páginas que um site pode ter, além de planejar quais categorias ele pode precisar. Desta forma, eu consigo escolher a melhor estrutura de links internos.
Por exemplo, se eu estou trabalhando num site que eu sei que terá três categorias principais, eu provavelmente incluirei os nomes dessas categorias nos meus permalinks para criar silos físicos.

Editor

Domantas G.

Diretor de Conteúdo e SEO da Hostinger

9. Gere Meta Descrições

Uma meta descrição auxilia o usuário a obter um resumo do seu conteúdo. Trata-se de um elemento HTML que pode gerar bastante tráfego orgânico para a sua página web.

Os mecanismos de busca geram automaticamente um snippet (isto é, uma descrição) a partir dos 160 caracteres iniciais da sua postagem. Entretanto, nós recomendamos escrever uma meta descrição personalizada para otimizar o seu blog. Este resumo aparece nas SERPs, logo abaixo da title tag.

resultado no google com destaque para a meta descrição da página

O Google não exibirá a meta descrição completa caso ela seja muito longa, então nós recomendamos que você mantenha o texto entre 50 e 160 caracteres.

Os mecanismos de busca também destacam palavras-chave buscadas pelos usuários na sua meta descrição. Portanto, mesmo que isso não influencie no ranqueamento, incluir a palavra-chave de foco do seu artigo na primeira frase da meta descrição pode ajudar a gerar mais tráfego.

Evite usar aspas na meta descrição, pois o Google corta o snippet automaticamente após elas. Se você precisa colocar uma palavra ou frase entre aspas, use apóstrofos.

Cada meta-descrição deve ser única. Destaque as informações descritivas e factuais do seu artigo, bem como os benefícios que o leitor receberá após ler o seu texto.

Não se esqueça de que a meta descrição precisa ser relevante em relação ao conteúdo da página. Os mecanismos de busca podem não usar a descrição caso detectem que ela não está relacionada ao conteúdo.

10. Use Texto Alternativo (Alt Text) nas Imagens

Texto alternativo, também conhecido como alt text, é um elemento que descreve o conteúdo e contexto de uma imagem. Uma página web poderá exibir o texto alternativo quando a imagem não estiver sendo carregada corretamente, por exemplo.

Adicionar textos alternativos às suas imagens ajuda os mecanismos de busca a “ler” as imagens na sua página. Os resultados mais bem ranqueados no Google quase sempre têm conteúdo visual, mas imagens que não possuem textos alternativos podem confundir os mecanismos de busca e prejudicar seu posicionamento nas SERPs.

Para otimizar o texto alternativo das suas imagens:

  • Mantenha o texto objetivo – descreva a imagem de maneira direta, curta e sem palavras desnecessárias. Se você precisa de uma descrição mais elaborada, use uma legenda.
  • Contextualize – escreva de que forma a imagem se relaciona com o texto.
  • Use palavras-chave – adicione palavras-chave do seu texto caso elas estejam relacionadas ao contexto da imagem.

Para adicionar um texto alternativo usando HTML, adicione o seguinte código:

<img src="image file" alt="alt text">

11. Enriqueça seu Conteúdo com Elementos Visuais

Um artigo sem elementos visuais pode afastar rapidamente seu público-alvo. Elementos visuais incluem imagens, ilustrações, vídeos, diagramas e infográficos que servem para ilustrar a sua postagem. Eles ajudam a reforçar a ideia que você pretende passar e prendem a atenção dos leitores

Os elementos visuais devem ser relevantes para o seu conteúdo, caso contrário servirão apenas para distrair e confundir os leitores. Portanto, certifique-se de que cada elemento visual traz informações adicionais ao seu texto.

Existem vários tipos de elementos visuais.

  • Imagens. Use fotos ou ilustrações originais que tornem seu conteúdo único, e não se esqueça de otimizá-las para melhorar o ranqueamento do seu site. Outra forma de gerar tráfego por meio de imagens é adicionar imagens destacadas ou uma thumbnail à sua postagem.página de tutoriais da Hostinger com destaque para as ilustrações dos artigos
  • Capturas de tela. Mostre às pessoas como fazer alguma tarefa ou dê um exemplo usando capturas de tela. Postagens em blogs com capturas costumam usar anotações, como caixas, círculos ou setas, para indicar o centro das atenções naquela imagem.trecho de tutorial da hostinger com uma captura de tela ilustrativa em meio ao texto
  • Vídeos. Adicionar vídeos ao seu post aumenta o tempo que seus visitantes passam na página. Além disso, os vídeos também servem para conectar outra mídia ao seu blog, como o YouTube. trecho de tutorial da hostinger com um vídeo incorporado
  • Diagramas. Ilustre um processo ou conceito com um diagrama. Por exemplo, você pode usar o diagrama de um mapa para visualizar diferentes localizações.diagrama de mapa com localização dos servidores da hostinger

12. Use uma URL Efetiva

A URL (Uniform Resource Locator) especifica a localização de uma página da web na internet. Uma URL efetiva dá aos usuários e mecanismos de buscas uma forma mais fácil de entender o conteúdo daquela página.

Cada URL tem um protocolo, um domínio e um caminho. Sem as URLs, os usuários só poderiam acessar seus sites favoritos usando uma longa sequência de números chamada endereço IP.

Os mecanismos de busca usam as URLs para determinar se uma página específica é relevante ou não ao termo pesquisado pelo usuário. Aqui estão alguns aspectos para levar em conta ao buscar seu nome de domínio, para garantir que sua URL está ajudando a melhorar o ranqueamento do seu site:

  • Mantenha a URL relevante e objetiva. Descreva a página usando palavras simples, porém atraentes, que os usuários podem entender.
  • Mantenha a URL curta. URLs longas não são favoráveis para a prática de SEO.
  • Inclua palavras-chave. Coloque sua palavra-chave principal no início da sua URL para que os mecanismos de busca relacionem a página aos termos pesquisados pelos usuários.

Dica do Especialista

Colocar o título do post no permalink, logo após o seu domínio, é a opção perfeita. Apenas se certifique de não ter caracteres aleatórios ou números na sua URL. Eu também não recomendo adicionar datas à URL, a não ser que seu conteúdo seja particularmente temporal.

Editor

Domantas G.

Diretor de Conteúdo e SEO da Hostinger

13. Acelere o seu Blog

O Google penaliza sites que carregam mais lentamente, diminuindo seu ranqueamento nos resultados de busca. Atualmente, o Google está incentivando que sites melhorem a velocidade das suas páginas para aprimorar a experiência do usuário. A velocidade da página é o tempo que a página leva para ser carregada completamente.

O Google mede a velocidade da página pelo método do tempo até o primeiro byte (TTFB). Explicamos: quando um usuário clica no seu blog a partir de um mecanismo de busca, o navegador solicitará bytes do servidor no qual o blog está hospedado. O TTFB mede o tempo que o navegador leva para receber o primeiro byte de informação do servidor.

Existem ferramentas que ajudam a medir a velocidade da sua página por diferentes métricas, como o GTmetrix e o Google PageSpeed Insights.

47% dos usuários esperam que as páginas que visitam sejam carregadas em até dois segundos. Se o seu blog é muito lento, existem formas de acelerar suas páginas:

  • Hospedagem. Escolha um plano de hospedagem que ofereça uptime de 99,5% para velocidades de página superiores. Selecione seu provedor de hospedagem com cuidado, pois a velocidade do seu site é muito afetada pela velocidade do servidor.
  • Otimização de código. Remova códigos inúteis e caracteres desnecessários para melhorar a velocidade da página.
  • CDN (Content Delivery Network). Configure uma CDN para melhorar a velocidade de carregamento do conteúdo do seu blog. Isso é feito replicando o conteúdo estático das suas páginas em todos os servidores dentro da rede.

14. Adapte o Seu Blog para Todo Tipo de Dispositivo

Um blog deve ser acessível a partir de qualquer dispositivo, incluindo computadores, tablets e smartphones. Em 2021, cerca de 63% das buscas feitas no Google por usuários dos EUA foram realizadas a partir de dispositivos móveis. Agora que a maioria dos usuários navega de smartphones, o algoritmo do Google prioriza sites responsivos, que se adaptam a qualquer dispositivo ou tamanho de tela.

Artigos de blog responsivos para dispositivos móveis também ajudam os leitores a encontrar o conteúdo desejado rápida e fácil. Se os usuários puderem navegar pelo seu site usando computadores, tablets ou smartphones com o mesmo nível de facilidade, suas páginas terão um melhor ranqueamento.

O design do seu site influencia fortemente a navegação em diferentes dispositivos. Portanto, um bom design prioriza os usuários que estão em dispositivos móveis.

Considere os fatores a seguir para criar um blog que seja responsivo e esteja pronto para qualquer dispositivo:

  • Tema responsivo. Escolha um tema que ajude as páginas a se adaptarem a qualquer tamanho de tela. A maioria dos temas do WordPress são responsivos e adequados para todos os tipos de dispositivos.
  • Layout de página única. Otimizar páginas para rolagem tornará sua navegação mais fácil para usuários de dispositivos móveis.
  • Botões e links intuitivos. Crie botões e links grandes e atraentes, mais fáceis de se tocar.

Para checar se o seu blog é responsivo para dispositivos móveis, use o Teste de Compatibilidade com Dispositivos Móveis do Google. Basta colar a URL do seu site e a ferramenta dirá se a página passa ou não na avaliação.

mensagem de aprovação no teste de compatibilidade com dispositivos móveis do Google

15. Adicione Seu Blog à Busca do Google

Para que seu público-alvo encontre seu blog mais facilmente, uma boa ideia é listá-lo no Google. Você pode melhorar seu ranqueamento na plataforma enviando os dados do blog ao mecanismo de busca e fornecendo dados atualizados.

O primeiro passo para adicionar seu blog à busca do Google é criar um sitemap (mapa do site) para a sua URL. O Google usa mapas no formato XML (Extensible Markup Language) para armazenar suas páginas. Depois de fazer o upload do mapa no seu website, é hora de ir até o Google Search Console.

Por lá, você deve criar uma conta e adicionar o seu domínio ou URL. A ferramenta oferecerá, então, algumas formas de verificar que o domínio pertence a você.

adicionando domínio ou URL no google search console

Selecione Sitemaps no menu lateral e, na seção “Adicionar novo sitemap”, digite a URL do arquivo que representa o mapa do seu site. Por fim, clique em ENVIAR para finalizar o processo.

adicionando sitemap no google search console

16. Monitore o Tráfego do Seu Blog

Monitorar o tráfego do seu blog ajuda a entender em quais assuntos você deve focar e quais postagens não estão rendendo muita audiência. Analise os números de visitas diárias, semanais ou mesmo anuais, dependendo do objetivo do seu blog e do tráfego obtido.

Use o Google Analytics para monitorar o tráfego do seu blog. Você pode adicionar facilmente esse plugin ao seu site WordPress. Após obter acesso ao Google Analytics, eis aqui algumas métricas que você deve ficar de olho:

  • Visão geral da Aquisição. Serve para checar as tendências gerais e as principais fontes de tráfego do seu site. Esta seção mostra como canais específicos contribuem para o seu tráfego total — orgânico, pago, direto, de referência ou vindo de redes sociais.
  • Visão geral do Engajamento. Serve para analisar o tempo médio gasto no seu site, assim como as páginas com melhor engajamento.
  • Informações Demográficas. Serve para você entender de onde está vindo sua audiência e, com isso, ajustar o seu conteúdo. Por exemplo, se a maior parte dos seus visitantes vêm de um país específico, você pode adicionar mais conteúdo relacionado àquela cultura.

Essas dicas poderão te ajudar a tomar decisões baseadas em dados para que o seu blog cresça de maneira mais eficiente.

Dica do Especialista

A maioria das pessoas que usam o Google Analytics acompanham seu tráfego, mas não suas conversões. Veja bem: tráfego é ótimo, mas você precisa saber quais fontes de tráfego estão trazendo mais conversões para o seu site. Ao configurar o rastreamento de objetivos e conversões, você pode entender o que está incentivando as pessoas a permanecer no seu site e quais fontes de tráfego estão apresentando o melhor desempenho.

Editor

Neil P.

Especialista em Marketing Digital e Empreendedor

17. Atualize o Seu Conteúdo Regularmente

Atualizar o seu conteúdo ajuda a construir lealdade e incentivar seus leitores a voltarem regularmente ao seu site. Por outro lado, focar apenas em novas postagens pode prejudicar o seu ranqueamento, já que o conteúdo antigo deixará de ser relevante.

Os usuários querem sempre a informação mais recente. Ao atualizar seu conteúdo, você também poderá otimizar ainda mais o seu blog. Criar uma nova postagem toma mais tempo do que atualizar um post já existente, então é mais rápido adicionar conteúdo atualizado a um artigo publicado anteriormente.

Atualizar seu conteúdo também gera um alerta aos rastreadores web para que eles façam um novo rastreamento no seu site e armazenem informações para os mecanismos de busca. Com as atualizações de conteúdo, os mecanismos podem melhorar o ranqueamento do seu site.

O algoritmo do Google, por exemplo, prioriza conteúdos mais recentes, com informações atualizadas. O Google costuma impedir que páginas antigas apareçam no topo de uma página de resultados, substituindo-as frequentemente por conteúdos renovados.

Atualizar seu conteúdo envolve melhorar o SEO, mudar o formato de um artigo e/ou adicionar novas informações.

Certifique-se de que, ao atualizar uma postagem, você manterá a URL anterior. Alterar a URL prejudicará o seu ranqueamento, pois poderá gerar links quebrados e erros 404 no seu site — o que, por consequência, tornará mais difícil a indexação das suas páginas pelos mecanismos de busca.

Dica do Especialista

No geral, você não deve atualizar seu conteúdo mais de uma vez no mês se quiser analisar como as mudanças estão influenciando (ou não) no seu ranqueamento. Mas se o assunto do artigo está sendo alterado constantemente, então você pode atualizá-lo semanalmente ou mesmo várias vezes em um dia. Digamos que você esteja falando sobre ações: você sabe que sua página poderá mudar dezenas de vezes num dia, porque o preço das ações mudam dezenas de vezes no dia.

Editor

Neil P.

Especialista em Marketing Digital e Empreendedor

Backlinks são links adicionados por outros sites que direcionam usuários às suas páginas. Quando outro site faz um link para o seu blog, os mecanismos de busca “entendem” que o seu conteúdo tem valor, utilidade e credibilidade. Mais que isso: os mecanismos de busca listam backlinks de qualidade como um dos fatores mais importantes no ranqueamento de uma página.

Entretanto, nem todo backlink tem o mesmo valor. Por exemplo, um único backlink de qualidade pode ser mais poderoso que mil backlinks irrelevantes. Portanto, backlinks de sites confiáveis e populares valem mais que aqueles realizados por sites pouco conhecidos.

Um backlink de alta qualidade tem relação contextual com o seu site. Isto é, o Google checará se o seu site e o site que está fazendo o link para o seu conteúdo são relacionados — e, a partir daí, poderá marcar aquela relação como um backlink de qualidade.

Para construir backlinks de qualidade e melhorar a otimização do seu blog, siga os passos a seguir:

  • Mídias sociais. Adicione a URL do seu site aos seus perfis nas redes sociais.
  • Guias definitivos. Crie artigos longos e aprofundados, como tutoriais que cobrem diferentes aspectos de um assunto. Esses tipos de artigos costumam receber mais backlinks do que postagens comuns.
  • Comunidade. Faça conexões com blogs e comunidades no seu nicho e divulgue seus artigos para fazer backlinks do conteúdo deles.

A Importância do Tamanho do Conteúdo para SEO

O tamanho de uma postagem de blog não é tão importante para o SEO quanto a qualidade do conteúdo. Ainda assim, a SerpIQ descobriu que o primeiro artigo numa página de resultados do Google tem, em média, 2.416 palavras, enquanto o décimo tem uma média de 2.032 palavras. Note que, no geral, os conteúdos de melhor ranqueamento têm mais de 2 mil palavras.

Ainda que o tamanho do conteúdo não influencie nos resultados do Google, textos mais longos dão mais oportunidades para você obter backlinks de qualidade. Além disso, as pessoas costumam demonstrar um maior engajamento com conteúdos mais aprofundados.

Dica do Especialista

A contagem de palavras dependerá do seu nicho. Se você está na indústria das gravatas, você acha uma boa ideia escrever um artigo de 2 mil palavras sobre como dar nó em uma gravata? Por outro lado, se você está lendo uma biografia sobre Martin Luther King, ela não pode ter apenas mil palavras. Não é o suficiente, não se aprofunda o bastante — portanto, a contagem depende do assunto.
A contagem de palavras deve ser suficiente para passar sua mensagem, cobrir os principais aspectos do assunto e gerar no leitor uma sensação do tipo “eu obtive tudo que buscava neste blog, neste artigo, então não preciso pesquisar mais”.

Editor

Neil P.

Especialista em Marketing Digital e Empreendedor

Por Que Você Precisa de SEO para o Seu Blog

O primeiro resultado orgânico nas páginas do Google costuma obter uma média de 43,32% dos cliques. O segundo resultado, por sua vez, obtêm em média 37,36% dos cliques, e o terceiro recebe algo em torno de 29,9%. Ter um melhor ranqueamento nas SERPs, portanto, melhora o seu tráfego e o reconhecimento da sua marca — e o SEO pode te ajudar nisso.

Eis aqui algumas das principais vantagens de criar um blog adaptado para SEO:

  • Obter mais tráfego – conteúdo otimizado pode converter tráfego em engajamento e marketing online.
  • Aumentar sua credibilidade – aumentar o reconhecimento da sua marca e oferecer conteúdo que satisfaz as buscas dos usuários facilitará o processo de encontrar colaboradores e construir a sua autoridade na área.
  • Melhorar a experiência do usuário – escrever conteúdo de alta qualidade, que se adequa às necessidades dos leitores, incentivará seus visitantes a retornarem ao site e recomendarem seu conteúdo a outras pessoas.
  • Reduzir a taxa de rejeição – os leitores ficam mais tempo nas páginas do seu blog se o conteúdo é bem-escrito e fácil de entender.

As Melhores Ferramentas para SEO em Blogs

Para melhorar o SEO dos artigos do seu blog, nós listamos as cinco melhores ferramentas do tipo. Elas oferecem navegação amigável, sugestões úteis e exibição de todos os dados necessários.

1. Planejador de Palavras-Chave do Google

página inicial do Planejador de Palavras-Chave do Google
  • Recursos notáveis: previsão de desempenho de palavra-chave, grupos de palavras-chave, palavras-chave negativas.
  • Melhor para: pesquisar palavras-chave
  • Preço: gratuito

O Planejador de Palavras-Chave do Google é uma ótima ferramenta para pesquisar e descobrir novas palavras-chave. Ela mostra a média de buscas mensais, o nível de concorrência, previsão de desempenho e custo para palavras-chave potenciais.

Para usar a ferramenta, é necessário fazer o login com a sua conta do Google. Em seguida, você pode descobrir novas palavras-chave para ter ideias de como alcançar mais pessoas. Você também pode analisar o volume de buscas e a previsão de desempenho de uma palavra-chave de foco, para ter uma noção da taxa de sucesso dela.

Vantagens:

  • Permite descobrir novas palavras-chave relacionadas ao seu blog.
  • Organiza as palavras-chave em subcategorias.
  • Filtra as palavras-chave com baixo volume de buscas.

Desvantagens:

  • Usa uma média arredondada para as buscas mensais, então os números podem não ser os mais precisos.
  • É difícil encontrar palavras-chave associadas e termos relacionados.

[PRÉVIA/DOWNLOAD]

2. Google Search Console

página inicial do google search console
  • Recursos notáveis: relatórios de principais métricas da web (Core Web Vitals), ferramentas e relatórios legados, experiência na página
  • Melhor para: otimizar ranqueamento
  • Preço: gratuito

O Google Search Console dá uma visão geral do desempenho e tráfego do seu blog, além de várias recomendações. Os donos de blogs podem implementar as sugestões dadas pelo Google na ferramenta, afetando diretamente o ranqueamento das suas páginas.

O primeiro passo para usar esta ferramenta é comprovar que você tem acesso ao site em questão. Depois, é possível checar uma análise completa do desempenho do seu site nas buscas do Google, incluindo impressões, posição e taxa de cliques (CTR). O Google Search Console também traz dados sobre a experiência da página e backlinks.

Vantagens:

  • Permite que você saiba tudo sobre o status do seu site nos resultados de buscas.
  • Monitora os links e o crescimento do seu site facilmente.
  • Identifica problemas no seu site e dá sugestões para corrigi-los.

Desvantagens:

  • Os dados podem levar entre dois e três dias para serem atualizados.
  • Alguns recursos podem ter dados incompletos ou limitados.

3. Yoast SEO

página inicial do yoast seo
  • Recursos notáveis: meta-descrições, limpeza de permalinks e compartilhamento em redes sociais
  • Melhor para: otimização SEO
  • Preço: freemium. O Yoast SEO Premium custa US$ 99 anuais para um site e oferece até 15% de desconto para múltiplos sites.

O Yoast SEO é um dos plugins de SEO mais populares para WordPress. Ele otimiza o conteúdo na plataforma melhorando práticas de SEO e dá sugestões de como melhorar a sua escrita para os mecanismos de busca. Também há opções para otimizar conteúdos específicos, como vídeos e notícias.

Um dos recursos que pode ajudar a melhorar o seu conteúdo é a Meta Box, que inclui uma prévia de como a página aparecerá nos resultados de buscas. Além disso, o plugin dá a opção de alterar o título e a meta-descrição do snippet.

Vantagens:

  • Traz a prévia dos artigos nas redes sociais e nos resultados dos mecanismos de busca.
  • Dá pontuações de SEO e legibilidade, além de sugestões de como melhorá-las.
  • Permite atualizar a estrutura de links, remoção de links órfãos e apagar páginas.

Desvantagens:

  • Velocidade — por ser relativamente complexo, o plugin pode ser um tanto lento.
  • Disponível apenas para usuários do WordPress.

4. Ahrefs

página inicial do ahrefs
  • Recursos notáveis: Explorador de Sites, Explorador de Palavras-Chave, Auditoria de Sites, Rastreador de Classificação
  • Melhor para: monitorar seu desempenho de SEO
  • Preço: freemium. A versão Lite custa US$ 99 mensais, enquanto a Standard sai por US$ 199 ao mês. A versão Advanced custa US$ 399 por mês, e a Agency sai por US$ 999 mensais.

O Ahrefs é uma ferramenta de SEO para blogueiros e administradores de sites em geral. Ela inclui construtor de links, pesquisa de palavras-chave, rastreamento de classificação e auditoria de sites. Ideal para profissionais do marketing, este software oferece análises aprofundadas da sua página web e do seu segmento, muito úteis para melhorar o seu ranqueamento.

O Ahrefs pode melhorar e otimizar o seu blog de diversas maneiras, desde a busca por problemas críticos de SEO até a correção de backlinks quebrados. Quase todas as informações e dados que você precisará para otimizar seu conteúdo podem ser encontradas aqui.

Vantagens:

  • Traz volumes e níveis de dificuldade de qualquer palavra-chave.
  • Rastreia backlinks para páginas específicas.
  • Monitora o desempenho de sites com base em palavras-chave e ranqueamento.

Desvantagens:

  • Não é apropriado para iniciantes, considerando a quantidade de informações oferecida.
  • Caro em relação a outras ferramentas de SEO.

[PRÉVIA/DOWNLOAD]

5. SurferSEO

página inicial do surferseo
  • Recursos notáveis: Pontuação de Conteúdo, ferramenta para pesquisa de palavras-chave, análise de SERPs
  • Melhor para: palavras-chave e otimização de conteúdo
  • Preço: freemium. A versão Basic custa US$ 59 mensais; a Pro sai por US$ 119 ao mês e a Business custa US$ 239 ao mês. Há descontos para pagamento anual.

O SurferSEO é uma ferramenta amigável que ajuda a melhorar a estratégia, criação e otimização de conteúdo para o seu blog. O que o torna único é a análise direta do seu conteúdo em comparação com páginas concorrentes nos mecanismos de busca. A ferramenta também dá sugestões com base nessa análise.

O objetivo do SurferSEO é otimizar o emprego das palavras-chave e a estrutura do seu texto. Ele também pode ser integrado ao Google Docs, facilitando a otimização do conteúdo ainda na fase de criação.

Vantagens:

  • Apresenta uma interface amigável para iniciantes e uma disposição de recursos visualmente atraente.
  • Oferece sugestões em tempo real durante a escrita do conteúdo.
  • Mostra uma comparação das principais palavras-chave nas páginas mais bem-ranqueadas.

Desvantagens:

  • As palavras-chave recomendadas podem não estar relacionadas ao conteúdo.
  • As sugestões são altamente ligadas às páginas concorrentes.

[PRÉVIA/DOWNLOAD]

Conclusão

Usar técnicas de SEO ajuda a trazer visitantes ao seu blog, melhorar seu posicionamento nas SERPs e ganhar mais tráfego orgânico. Nós compartilhamos 18 formas de otimizar o seu blog, desde a pesquisa de palavras-chave até a construção de backlinks de qualidade.

Lembre-se que o tamanho das postagens do seu blog não afetam o ranqueamento nas buscas. Entretanto, a maioria dos artigos bem posicionados têm algo em torno de 2 mil palavras, uma vez que é quase impossível produzir conteúdo de qualidade com apenas 100 ou 200 palavras. Nós também listamos as cinco melhores ferramentas de SEO para blogs — ferramentas que dão relatórios completos do seu conteúdo e sugestões para melhorá-lo.

Nós te desejamos boa sorte na criação de conteúdo otimizado para seu blog focado em SEO!

Author
O autor

Bruno Santana

Sou jornalista em formação pela Universidade Federal da Bahia, além de colaborador eventual do site MacMagazine e da editoria de cultura do Jornal A Tarde, de Salvador. Fascinado por tecnologia desde criança, criei meu primeiro blog no Wordpress aos 13 anos e nunca mais parei. Nas horas vagas, gosto de ir ao cinema e brincar com meu gato, Sushi.